Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Protestos no Líbano bloqueiam estradas após renúncia de premiê designado

Libaneses tomam as ruas após a renúncia do premiê designado Saad Hariri em Beirute, 15 de julho de 2021 [AFP via Getty Images]
Libaneses tomam as ruas após a renúncia do premiê designado Saad Hariri em Beirute, 15 de julho de 2021 [AFP via Getty Images]

O Líbano foi tomado por uma nova onda de protestos nesta quinta-feira (15), devido à renúncia do premiê designado Saad Hariri, após nove meses de impasse para compor um governo.

Segundo a imprensa estatal, manifestantes instalaram barricadas e incendiaram pneus em Khaldeh e Naameh. O exército disparou balas de borracha, mas foi recebido com pedras.

Em Tiro, cidade natal do Presidente do Parlamento Nabih Berri, no sul do país, um grupo de jovens expulsou clientes de restaurantes e bloqueou ruas e estradas.

Hariri confirmou ontem que não seria possível compor um governo, ao acusar o presidente libanês Michel Aoun de manter-se intransigente sobre a questão.

“A posição do presidente não mudou e ele insiste que suas emendas são essenciais”, declarou o ex-premiê. “O presidente então me disse que é difícil chegar a um consenso; portanto, renunciei … que Deus ajude este país”.

LEIA: Presidente do Líbano garante eleições parlamentares em 2022

Na quarta-feira (14), Hariri apresentou uma nova lista de 24 ministros, horas após retornar do Cairo, onde reuniu-se com o presidente e general egípcio Abdel Fattah el-Sisi.

Em nota, a presidência libanesa afirmou que Hariri “rejeitou todas as emendas relacionadas aos ministérios, sua distribuição sectária e os nomes associados a tanto”.

Ao longo do último ano, divergências entre Aoun e Hariri impediram a formação de um governo, para suceder o premiê em exercício de Hassan Diab, que renunciou em 10 de agosto de 2020, seis dias após a explosão que devastou o porto de Beirute.

O Líbano enfrenta um colapso econômico sem precedentes, descrito pelo Banco Mundial como uma das mais graves depressões na história moderna.

Categorias
LíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments