Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Influenciadores dos Emirados Árabes, Bahrein e Marrocos visitam Israel para promover a normalização

Influenciadores dos Emirados Árabes, Bahrein e Marrocos se reuniram em Israel no mês passado para um tour pelo país em uma tentativa de celebrar os Acordos de Abraão do ano passado [@IsraelArabic/Twitter]

Influenciadores dos Emirados Árabes, Bahrein e Marrocos se reuniram em Israel no mês passado para um tour pelo país em uma tentativa de celebrar os Acordos de Abraham do ano passado.

Chamada de “Missão Líderes do Amanhã a Israel”, a excursão foi organizada por Eyal Biram, fundador da Israel-Is, uma organização sem fins lucrativos criada há quatro anos para aprimorar o relacionamento de Israel com outros países por meio de interações pessoais.

“Se queremos começar e construir nosso futuro compartilhado, temos que entender que viemos de um passado comum”, afirmou Biram.

Um número crescente de países na região MENA está normalizando os laços com Israel [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

De acordo com o Times of Israel, ele acrescentou que a viagem visa destacar a liderança jovem e espera que os participantes retornem aos seus países de origem e defendam novos grupos de apoio à normalização e expandam os acordos de Abraham, que foram orquestrados pela administração Trump em conjunção com o governo do ex-primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

Yousif Mohamed, de 20 anos, do Bahrein, disse ao Media Line: “Eu sou jovem, mas você nunca se é jovem demais para querer tentar mudar o mundo”.

“Eu enfrentei um pouco de pressão e crítica online, provavelmente por ser um dos primeiros Bahreinis a visitar Israel, mas acho que é esperado que as pessoas precisem de algum tempo para abrir suas mentes.”

LEIA: Rei do Bahrein parabeniza seu primeiro embaixador em Israel

“A ignorância às vezes pode nos atrapalhar e foi por isso que decidi visitar e ver as coisas por mim mesmo, e estou muito feliz por ter dado esse passo”, acrescentou.

Os acordos de normalização do ano passado assinados pelos Emirados Árabes e Bahrein, seguidos por Sudão e Marrocos, foram denunciados por palestinos que alegaram que os estados haviam abandonado uma posição unificada segundo a qual os países árabes fariam a paz apenas após uma solução de dois estados, negociações para as quais em um impasse por anos.

Abu Dhabi disse que o acordo foi um esforço para evitar a anexação planejada de Tel Aviv da Cisjordânia ocupada. No entanto, os oponentes acreditam que os esforços de normalização estão iminentes há muitos anos, já que autoridades israelenses fizeram visitas oficiais aos Emirados Árabes e participaram de conferências no país que não tinha laços diplomáticos ou outros com o estado de ocupação.

Vários acordos bilaterais sobre investimento, turismo, voos diretos, segurança e telecomunicações foram assinados após o acordo de paz.

Categorias
ÁfricaBahreinEmirados Árabes UnidosIsraelMarrocosNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments