Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Netflix ajuda profissionais árabes de cinema e TV

Logotipo da Netflix [Chesnot / Getty Images]
Logotipo da Netflix [Chesnot / Getty Images]

A Netflix, empresa global de serviço de streaming de séries e filmes, anunciou a criação de um fundo de US$ 500 mil para apoiar profissionais de televisão e cinema de países árabes que estão passando por dificuldades em função da pandemia de covid-19. A iniciativa é conjunta com o Fundo Árabe para Artes e Cultura (Afac, na sigla em inglês), segundo informações divulgadas no site do jornal saudita Arab News.

O fundo fornecerá ajuda financeira na forma de doações individuais no valor de US$ 2 mil para equipes de produção, técnicos e freelancers da área de televisão e cinema que enfrentam problemas econômicos decorrentes da pandemia, como interrupção do trabalho cotidiano, paradas na produção e redução de oportunidades.

Entre os perfis de trabalhadores que podem receber a ajuda estão assistentes, coordenadores, técnicos e operadores em diferentes áreas de produção de cinema ou televisão, incluindo câmera, som, arte, maquiagem, figurino, locações e transporte. O propósito é ajudar quem trabalha por hora ou por projeto.

LEIA: Curta palestino indicado ao Oscar é exibido em Festival

Para receber é preciso fazer uma inscrição e fornecer documentação, incluindo lista de projetos recentes, referências, auxílios que já recebeu no passado e uma descrição dos desafios, como projetos cancelados ou atrasados. As informações ficarão disponíveis no site da Afac até o dia 08 de julho. Iniciativa semelhante tomou a Netflix no Líbano quando o país viveu a explosão no Porto de Beirute em 2020.

O anúncio é uma expansão da ajuda emergencial já dada ao setor pela Netflix na pandemia de covid-19. Nota divulgada pela empresa informa que mais pessoas da comunidade criativa árabe poderão ser apoiadas. No material, a Netflix informa que isso é possível por meio de parceria e agradece ao Fundo Árabe para Artes e Cultura. Profissionais de todos os países árabes podem se candidatar, exceto os do Líbano, que já foram beneficiados.

Publicado originalmente em Anba

Categorias
LíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments