Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel libera jornalista da Al Jazeera detida em Jerusalém

Givara Budeiri, jornalista da Al Jazeera, após deixar a delegacia em Jerusalém Oriental, 6 de junho de 2021 [Ahmad Gharabli/AFP via Getty Images]

A polícia da ocupação israelense liberou Givara Budeiri, correspondente da Al Jazeera nos territórios palestinos, que cobria com sua equipe um protesto sit-in em Jerusalém, confirmou a emissora catariana neste sábado (5).

“A jornalista da Al Jazeera Givara Budeiri foi libertada do sistema de detenção israelense horas depois de ser apreendida e foi temporariamente banida do bairro de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental ocupada”, reportou a rede de notícias no Twitter.

“Budeiri confirmou sua liberdade condicional, de modo que foi banida de Sheikh Jarrah por quinze dias”, confirmou o comunicado.

A polícia israelense reprimiu um protesto pacífico em apoio a famílias sob ameaça de expulsão de suas casas em Sheikh Jarrah, bairro palestino em Jerusalém Oriental. Forças da ocupação agrediram a equipe da Al Jazeera que cobria a manifestação.

Polícia israelense reprime protesto sit-in em apoio aos palestinos sob ameaça de expulsão em Sheikh Jarrah, Jerusalém ocupada. Autoridades agrediram a equipe da Al Jazeera que cobria o ato

Tensões escalaram nos territórios palestinos desde meados de abril devido a uma ordem judicial israelense para despejar arbitrariamente oito famílias palestinas de Sheikh Jarrah e substituí-las por colonos ilegais.

Autoridades israelenses, porém, adiaram a decisão final para dezembro, diante de enormes protestos palestinos e internacionais que se intensificaram ao longo dos onze dias de bombardeios israelenses contra Gaza sitiada.

Jornalistas palestinos são presos por Israel [Sarwar Ahmed/Monitor do Oriente Médio]

O Instituto de Imprensa Internacional (IPI) emitiu um comunicado para condenar veementemente a prisão de jornalistas em campo.

LEIA: WhatsApp deleta contas de vários jornalistas e ativistas em Gaza

“Budeiri foi detida ao cobrir protestos em Sheikh Jarrah. Vídeo do incidente mostra que vestia um colete claramente marcado com ‘imprensa’ e, segundo a Al Jazeera, tentava mostrar seu registro emitido por Israel enquanto era arrastada pela polícia”, declarou a entidade.

“A Al Jazeera também relatou que a polícia danificou equipamentos pertencentes ao cinegrafista Nabil Mazzawi”, prosseguiu.

“O IPI condena a prisão brutal de Givara Budeiri por forças de segurança israelenses em Jerusalém e reivindica sua libertação imediata”, reiterou Bárbara Trionfi, diretora-executiva do instituto, conforme a declaração.

“O IPI demanda a libertação imediata de Givara Budeiri e outros dez jornalistas hoje mantidos nas cadeias de Israel”, acrescentou Trionfi. “Israel deve responsabilizar representantes de suas forças armadas que agridem profissionais de imprensa”.

Em maio, aviões de guerra israelenses destruíram um edifício na Cidade de Gaza que abrigava escritórios da imprensa internacional, incluindo Al Jazeera e Associated Press. O exército da ocupação alega que a torre era utilizada pelo Hamas; porém, sem evidências.

Ataques contra a imprensa são considerados crimes de guerra, segundo a lei internacional.

LEIA: Associated Press demite jornalista judia pelo seu apoio os palestinos

Categorias
CatarIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments