Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

A HRW acusa houthis de impedir entrega de vacinas ao Iêmen

Uma equipe de saúde prepara uma dose da vacina Covid-19 em Taizz, Iêmen, em 30 de maio de 2021 [ Abdulnasser Alseddik/ Agência Anadolu]
Uma equipe de saúde prepara uma dose da vacina Covid-19 em Taizz, Iêmen, em 30 de maio de 2021 [ Abdulnasser Alseddik/ Agência Anadolu]

A Human Rights Watch (HRW) acusou o grupo Houthi no Iêmen de bloquear a entrega de vacinas contra o coronavírus em áreas sob seu controle e de espalhar desinformação entre os residentes sobre a doença potencialmente fatal.

Desde a erupção da pandemia, os houthis, que controlam grande parte do norte do Iêmen, raramente publicaram estatísticas sobre a pandemia, anunciando a morte de um paciente com coronavírus até agora.

O HRW disse ontem que as autoridades houthis no Iêmen “suprimiram informações sobre os perigos e o impacto da covid-19 e minaram os esforços internacionais para fornecer vacinas em áreas sob seu controle”.

“Nenhuma vacina chegou às áreas sob controle houthi”, acrescentou.

“A decisão deliberada das autoridades houthis de manter sob sigilo o número real de casos de covid-19 e sua oposição às vacinas estão colocando vidas iemenitas em risco”, disse Michael Page, vice-diretor do Oriente Médio da HRW, observando que “fingir que covid-19 não existe não é uma estratégia de mitigação e só levará ao sofrimento em massa. ”

LEIA: ONU diz que mais de um milhão de iemenitas deslocados estão em risco devido à agitação de Marib

No final de março, o Iêmen havia recebido 360.000 vacinas como parte da iniciativa Covax supervisionada pela ONU para fornecer vacinas aos países mais pobres do mundo.

O plano, que dá ao Iêmen acesso a 1,9 milhão de vacinas em 2021, prevê a entrega de algumas doses nas áreas controladas por Houthi.

A HRW citou uma fonte médica dizendo que a falha do movimento em cooperar com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o governo do Iêmen impediu que qualquer vacina chegasse ao norte.

A entidade confirmou que “por isso as vacinas só são entregues no sul”, que está sob o controle do governo apoiado pela Arábia Saudita.

O Iêmen, que tem uma população de 30 milhões, registrou oficialmente mais de 6.700 infecções com o vírus, incluindo 1.321 mortes. No entanto, as taxas de infecção nas áreas mantidas pelos houthis são desconhecidas e não constam dos registros oficiais.

Categorias
CoronavírusIêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments