Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Egito perde 35 médicos em duas semanas para covid-19

Médicos egípcios verificam radiografia pulmonar de um paciente na unidade de doenças infecciosas do hospital Imbaba, na capital Cairo, em 19 de abril de 2020, durante a nova crise de pandemia de coronavírus [Ahmed Hasan/AFP via Getty Images]

O Egito perdeu 35 médicos em duas semanas, segundo dados publicados pelo sindicato médico do país.

Ontem, o sindicato anunciou que o dermatologista Dr. Wasfi Shahdi Pham Ghabbour morreu isolado no Hospital Sadr Al-Abbasiya após contrair o vírus.

Há menos de uma hora, sua página no Facebook anunciou a morte da Pediatra Dra. Rania Fouad Al-Sayed, que morreu de coronavírus.

Em 4 de maio, o sindicato anunciou que o número oficial de mortos entre os médicos egípcios por coronavírus havia chegado a 500, em notícias que se espalharam pelas redes sociais.

A proporção de médicos em relação ao total nacional de mortes no Egito é seis vezes maior do que nos Estados Unidos.

É amplamente relatado que o número real de pessoas morrendo de coronavírus no Egito é provavelmente muito maior do que o que foi relatado.

LEIA: Homem que agitou a bandeira da Palestina na Praça Tahrir desaparece no Egito

Médicos e outras equipes médicas foram presas por denunciarem casos ao Ministério da Saúde.

O sindicato dos médicos do Egito pediu às autoridades que divulgassem os números reais para que suas famílias pudessem receber uma compensação financeira adequada.

Desde o início da pandemia, os médicos tentam falar abertamente sobre a falta de EPIs adequados e os problemas crônicos com hospitais e equipamentos desatualizados.

Em um dos exemplos públicos mais horríveis disso desde o início da pandemia, em janeiro, uma enfermeira inteira de UTI morreu depois que o suprimento de oxigênio falhou.

Não havia oxigênio nem pressão suficiente para salvar a vida dos pacientes.

Em resposta a um vídeo do incidente que se tornou viral, o ministro da Saúde do Egito foi forçado a admitir que havia um problema de oxigênio nos hospitais do país.

Categorias
ÁfricaCoronavírusEgitoNotícia
Show Comments
Show Comments