Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã e EUA concordam em trocar de prisioneiros e liberação de fundos congelados, diz TV

Carros oficiais são vistos do fora do Grand Hotel Wien após uma sessão de reunião do Plano de Ação Global Conjunto (JCPOA) sobre "negociações nucleares com o Irã" em Viena, Áustria, em 01 de maio de 2021. (Aşkın Kıyağan - Agência Anadolu)
Carros oficiais são vistos do fora do Grand Hotel Wien após uma sessão de reunião do Plano de Ação Global Conjunto (JCPOA) sobre "negociações nucleares com o Irã" em Viena, Áustria, em 01 de maio de 2021. (Aşkın Kıyağan - Agência Anadolu)

O Irã libertará quatro americanos acusados ​​de espionagem em troca de quatro iranianos detidos nos Estados Unidos e da liberação de US$ 7 bilhões em fundos iranianos congelados, informou a Reuters, citando o Al Mayadeen, canal de TV libanês pró-iraniano, que ouviu fontes iranianas não identificadas, no domingo.

A televisão estatal iraniana, citando um funcionário do governo, confirmou a reportagem do Al Mayadeen.

A Casa Branca e o Departamento de Estado dos EUA não comentaram imediatamente.

O Irã e as potências mundiais estão mantendo negociações para retomar o acordo nuclear de 2015 que Washington abandonou há três anos.

LEIA: Ativista anglo-iraniana comparece à corte no Irã sob acusações de ‘propaganda’

Autoridades iranianas disseram à Reuters no mês passado que um acordo provisório poderia ser uma forma de ganhar tempo para um acordo duradouro que envolvesse o descongelamento de fundos iranianos bloqueados pelas sanções dos EUA.

Teerã e as potências estão se reunindo em Viena desde o início de abril para trabalhar nas medidas que devem ser tomadas, abordando as sanções dos EUA e as supostas violações do acordo de 2015 pelo Irã, para trazer Teerã e Washington de volta ao pleno cumprimento do acordo.

O Irã diz que US$ 20 bilhões de sua receita do petróleo foram congelados em países como Coreia do Sul, Iraque e China sob o regime de sanções dos EUA desde 2018

Categorias
Ásia & AméricasÁustriaEstados UnidosEuropa & RússiaIrãNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments