Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Causador do #MeToo no Egito é condenado a oito anos por agressão sexual Título

Inscrição sobre a foto de Ahmed Bassem Zaki o acusa de estuprador em um perfil do Instagram e provoca novas evidências contra ele [Instragram]
Inscrição sobre a foto de Ahmed Bassem Zaki o acusa de estuprador em um perfil do Instagram e provoca novas evidências contra ele [Instragram]

O estudante de 21 anos cuja violência sexual desencadeou o movimento MeToo do Egito foi condenado a sete anos de prisão sob a acusação de agredir sexualmente e chantagear três meninas menores de idade. Ele recebeu uma sentença de um ano além disso por posse de drogas.

No ano passado, Ahmed Bassem Zaki foi acusado por mais de 50 mulheres de agressão sexual e chantagem de três meninas menores para que realizassem favores sexuais, ameaçando liberar material comprometedor delas.

Alegações contra o ex-aluno da AUC vieram à tona em julho de 2019 depois que depoimentos postados online pela conta do Instagram da Polícia de Assalto detalhavam estupro estatutário, violência sexual e física e molestamento infantil.

Seu caso desencadeou um movimento #MeToo no Egito depois que a notícia se espalhou online, com centenas de mulheres ganhando confiança para falar, o que expôs vários homens e trouxe à luz casos de alto perfil, incluindo o estupro coletivo do Fairmont Hotel.

LEIA: Médica é empurrada da varanda após receber um visitante do sexo masculino no Egito

O caso de Zaki foi acompanhado de perto pela mídia, figuras religiosas e grupos de mulheres em um país onde o assédio e o abuso sexual muitas vezes não são punidos.

As mulheres são regularmente acusadas de provocar crimes e vestir-se provocativamente, o que as fez relutantes em falar, enquanto as testemunhas, por exemplo, de estupro coletivo, eram intimidadas e presas.

Zaki, que foi preso em 4 de julho, já foi condenado a três anos de prisão em dezembro por usar as redes sociais para assediar sexualmente mulheres.

O tribunal ouviu como entre 2016 e 2020 Zaki usou redes de mídia social e aplicativos de mensagens para enviar conteúdo explícito a uma das meninas e assediá-la por favores sexuais.

Assédio sexual - charge [Sabaaneh /Monitor do Oriente Médio]

Assédio sexual – charge [Sabaaneh /Monitor do Oriente Médio]

Categorias
ÁfricaEgitoNotícia
Show Comments
Show Comments