Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Em manifesto pela vida, Comitês Islâmicos de Solidariedade pedem impeachment de Bolsonaro

Alexandre Padilha foi ministro das Relações Institucionais no Governo Lula e ministro da Saúde no Governo Dilma Rousseff. Em 10 April 2012,[Elza Fiúza/ABr]
Alexandre Padilha foi ministro das Relações Institucionais no Governo Lula e ministro da Saúde no Governo Dilma Rousseff. Em 10 April 2012,[Elza Fiúza/ABr]

A entidade Comitês Islâmicos de Solidariedade (CIS), organizada por integrantes da comunidade muçulmana brasileira, escreveu um manifesto pedindo pelo impeachment de Bolsonaro, vacinas e auxílio emergencial. O documento foi lido pelo deputado Alexandre Padilha durante sessão da Câmara Federal, que o chamou de “histórico”.

A carta intitulada “Manifesto de muçulmanas e muçulmanos em defesa da vida” foi publicada no dia 30 de março e já reúne cerca de 650 assinaturas; o objetivo é chegar a mil para o envio ao Tribunal Penal Internacional.

 

As pessoas signatárias exigem vacina pelo SUS, oxigênio para todos, auxílio emergencial de R$ 600 mensais até o fim da pandemia, auxílio às micro e pequenas empresas, pelo impeachment de Bolsonaro e por investigação do Tribunal Penal Internacional (TPI) dos supostos crimes contra a humanidade cometidos por governantes. “O presidente da República comete crimes que já são mais que suficientes para a abertura de um processo de impeachment e para a punição, através de tribunais nacionais e internacionais, por crimes contra a humanidade de todos os responsáveis, sejam do alto escalão do governo ou de seus financiadores”, diz o documento. “Suas ações planejadas e irresponsáveis, além de espalhar o vírus, a morte e a derrocada econômica, colocam nosso País como ameaça para o mundo, que teme o surgimento de variantes ainda mais potentes do vírus por aqui”.

LEIA: Campanha “Não somos alvo” quer que Congresso e STF barrem novos decretos das armas

Categorias
Ásia & AméricasBrasilCoronavírusNotíciaTPI
Show Comments
Show Comments