Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Prisioneiro palestino suspende greve de fome de 47 dias enquanto Israel define data para sua libertação

Prisioneiro palestino Emad Al-Battran.
Prisioneiro palestino Emad Al-Battran.

O prisioneiro palestino Emad Al-Battran suspendeu na noite passada sua greve de fome de 47 dias após uma promessa israelense de estabelecer um prazo para sua detenção administrativa.

De acordo com a Sociedade de Prisioneiros Palestinos, Al-Battran recebeu uma promessa de seus carcereiros de libertá-lo em julho.

Como resultado de sua prolongada greve de fome, Al-Battran agora está fraco e sofre de dores físicas e inflamação da pele. O prisioneiro iniciou sua greve de fome na prisão Megiddo antes de ser transferido para a prisão de Ramla, depois para um hospital e recentemente para uma cela de isolamento na prisão de Nitzan.

Ele foi detido e encarcerado em várias ocasiões e passou dez anos em prisões israelenses, principalmente em detenção administrativa, sem acusação ou julgamento. Em 2013, ele entrou em greve de fome indefinida por 105 dias para protestar contra a detenção administrativa e, posteriormente, em 2016 por um período de 35 dias.

LEIA:Greves de fome expõem a detenção injusta e prisões políticas em Israel

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments