Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Presidente do Irã diz que demora no retorno ao acordo nuclear prejudicará o grupo P5 + 1

O presidente Iraniano Hassan Rouhani faz uma declaração enquanto dá uma entrevista coletiva após a reunião do Conselho de Ministros, no jardim do Palácio de Sa'dabad, em Teerã, Irã, em 17 de março de 2021. [Presidência Iraniana / Folheto - Agência Anadolu]
O presidente Iraniano Hassan Rouhani faz uma declaração enquanto dá uma entrevista coletiva após a reunião do Conselho de Ministros, no jardim do Palácio de Sa'dabad, em Teerã, Irã, em 17 de março de 2021. [Presidência Iraniana / Folheto - Agência Anadolu]

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, alertou na quinta-feira que mais demora no retorno ao acordo nuclear de 2015 assinado entre seu país e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (o P5); a saber, China, França, Rússia, Reino Unido e Estados Unidos; além da Alemanha, só prejudicará o grupo.

Falando na cerimônia de lançamento de vários projetos econômicos, Rouhani destacou que Teerã não quer a guerra e não busca adquirir armas nucleares, acrescentando que seu país arcou com o ônus da implementação do acordo nuclear e agora é a vez da parte contrária retribuir .

O presidente iraniano disse que retornar ao acordo nuclear e implementar a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU será do interesse do grupo P5 + 1 e do mundo. Ele enfatizou que “quem quer que exija que Teerã dê o primeiro passo deve saber que Teerã pagou o preço de implementar o acordo nuclear por conta própria desde a retirada de Washington dele.

O presidente iraniano disse que o líder supremo de seu país, Ali Khamenei, se ofereceu para implementar as promessas de Teerã sob o acordo em troca de os Estados Unidos suspenderem as sanções, mas o novo governo americano não aproveitou a oportunidade.

“O Irã continuará no caminho do desenvolvimento, produção e negociações construtivas com o mundo até o fim”, disse Rouhani; acrescentando que a nova administração dos EUA ainda está longe de compreender os fatos iranianos.

LEIA: Irã propõe rota alternativa ao Canal de Suez

Categorias
AlemanhaÁsia & AméricasChinaEstados UnidosEuropa & RússiaFrançaIrãNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioRússia
Show Comments
Show Comments