Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Partido libanês pede ação para demarcar a fronteira marítima com a Síria

Samir Geagea, líder do partido das Forças Cristãs Libanesas, em sua casa em Maarab, a nordeste de Beirute, em 26 de abril de 2012. [Joseph Eid/ AFP / GettyImages]
Samir Geagea, líder do partido das Forças Cristãs Libanesas, em sua casa em Maarab, a nordeste de Beirute, em 26 de abril de 2012. [Joseph Eid/ AFP / GettyImages]

O chefe do Partido das Forças Libanesas, Samir Geagea, exortou seu país a recorrer às Nações Unidas para demarcar as fronteiras marítimas com a Síria, ou ao Tribunal Internacional de Justiça se o regime de Bashar Al-Assad não estiver satisfeito com a arbitragem internacional.

Durante uma conferência de imprensa ao norte de Beirute, Geagea acusou o regime sírio de tentar infringir 750 quilômetros quadrados de águas libanesas, após o acordo de Damasco com uma empresa russa para exploração de petróleo e gás no Mediterrâneo.

Ele apontou que “o governo do presidente do regime sírio, Bashar Al-Assad, se opôs à proposta do Líbano para a exploração de petróleo e gás em 2014.”

“Em 2017, o governo libanês enviou um memorando ao governo Assad, pedindo comunicação para unificar a visão sobre as fronteiras … e não houve resposta até dois dias atrás, quando ficamos surpresos ao descobrir que uma empresa russa havia sido autorizada pelo Assad governo a explorar petróleo e gás. ”

Ele acrescentou que os mapas existentes mostram “a sobreposição da demarcação síria com a demarcação libanesa, e a tentativa do lado sírio de anexar 750 quilômetros quadrados.”

Geagea pediu ao presidente libanês Michel Aoun, ao primeiro ministro Hassan Diab e às forças políticas para designar um escritório de advocacia para enviar um aviso à empresa russa.

LEIA: País pode afundar como o Titanic, diz presidente do Parlamento do Líbano

Categorias
Europa & RússiaNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioRússiaSíria
Show Comments
Show Comments