Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel proíbe imã da Mesquita de Al-Aqsa de viajar

Ekrima Sabri, grão-imã da Mesquita de Al-Aqsa, em sua casa no bairro de al-Suvvane, em Jerusalém ocupada, 3 de junho de 2020 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]
Ekrima Sabri, grão-imã da Mesquita de Al-Aqsa, em sua casa no bairro de al-Suvvane, em Jerusalém ocupada, 3 de junho de 2020 [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu]

Autoridades da ocupação israelense impuseram nova proibição de viagens ao sheikh Ekrima Sabri, presidente do Conselho Islâmico de Jerusalém e grão-imã da Mesquita de Al-Aqsa, segundo informações da agência de notícias Wafa.

A ordem tem prazo de dois meses e pode ser renovada.

O religioso de 82 anos foi preso por Israel em diversas ocasiões. Foi também proibido de entrar em Al-Aqsa por meses, acusado de “incitação”, ao promover a identidade islâmica do santuário religioso e resistir a ataques de extremistas israelenses.

Recentemente, Shakri destacou que Al-Aqsa – localizada na Cidade Velha de Jerusalém ocupada, terceiro lugar mais sagrado para os muçulmanos – sofre uma notável escalada nas invasões de grupos judaicos de extrema-direita.

O clérigo islâmico concede sermões às sextas-feiras em Al-Aqsa desde 1973.

Israel ocupou Jerusalém Oriental em 1967, durante a chamada Guerra dos Seis Dias. Sua “anexação” da cidade como um todo permanece ilegal conforme a lei internacional e jamais foi reconhecida pela maior parte da comunidade internacional.

LEIA: Sheikh Jarrah representa muito mais do que a documentação certa

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments