Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Kosovo segue EUA e Guatemala e abre embaixada em Jerusalém

Tapete vermelho é estendido entre bandeiras kosovares e israelenses para um evento na sede do Ministério de Relações Exteriores de Kosovo, em Pristina, 1° de fevereiro de 2021 [Armend Nimani/AFP via Getty Images]
Tapete vermelho é estendido entre bandeiras kosovares e israelenses para um evento na sede do Ministério de Relações Exteriores de Kosovo, em Pristina, 1° de fevereiro de 2021 [Armend Nimani/AFP via Getty Images]

Neste domingo (14), a República de Kosovo abriu sua embaixada israelense na cidade ocupada de Jerusalém, ponto crítico da questão israelo-palestina, seguindo os passos de Estados Unidos e Guatemala, reportou a agência Reuters.

Kosovo, nação balcânica de maioria islâmica, prometeu transferir sua embaixada a Jerusalém ao instituir laços diplomáticos com Israel em 2020, sob a chancela de Washington.

O Ministério de Relações Exteriores de Kosovo declarou no Twitter que, com a abertura da embaixada, “enfim foi cumprida a promessa feita no Salão Oval”.

LEIA: União Europeia adverte Kosovo contra a abertura de embaixada em Jerusalém

Israel considera suas novas relações com Kosovo como parte de uma campanha ampla de normalização das relações com países árabes e islâmicos, mobilizada pelo governo do ex-Presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

Wasel Abu Youssef, membro do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), reiterou que a abertura da embaixada em Kosovo em Jerusalém contradiz resoluções da ONU e pretende “enfraquecer a causa palestina”.

Nenhuma data foi anunciada até então para a cerimônia oficial de abertura.

Na quinta-feira (11), a República Tcheca abriu um escritório diplomático em Jerusalém, como filial de sua embaixada em Tel Aviv. Palestinos e Liga Árabe declararam repúdio à medida.

O status de Jerusalém permanece como obstáculo central para instituir um suposto “acordo de paz” entre israelenses e palestinos.

A comunidade internacional ainda preserva o consenso de estabelecer Jerusalém Oriental, capturada pela ocupação sionista em 1967, como capital de um futuro estado palestino. A anexação de Jerusalém por Israel jamais foi reconhecida internacionalmente.

LEIA: Israel e Kosovo instituem laços em encontro virtual

Categorias
Europa & RússiaIsraelKosovoNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments