Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Sudão apresenta novas condições para voltar às negociações da barragem da Etiópia

Ministro sudanês de Irrigação e Recursos Hídricos Yasser Abbas fala durante uma conferência de imprensa em 02 de dezembro de 2020, Cartum, Sudão [Mahmoud Hjaj / Agência Anadolu]
Ministro sudanês de Irrigação e Recursos Hídricos Yasser Abbas fala durante uma conferência de imprensa em 02 de dezembro de 2020, Cartum, Sudão [Mahmoud Hjaj / Agência Anadolu]

O ministro das Relações Exteriores sudanês, Omar Gamar Eddine Ismail, confirmou que “as novas condições para retornar às negociações da Barragem da Renascença e conduzir conversações significativas sobre o assunto foram apresentadas ao Estado da África do Sul”, visto que a África do Sul preside a atual sessão da Assembleia da União Africana.

Depois de se reunir com o Presidente do Conselho de Soberania, Tenente General Abdel Fattah Al-Burhan e o Ministro da Irrigação, Yasser Abbas, Ismail expressou sua esperança de que a nova sessão da Assembleia da União Africana marcada para fevereiro “apresentará outra oportunidade para alcançar o que oSudão aspira, caso contrário, seu país terá opções diferentes em relação a este assunto. ”

O Ministro da Irrigação sudanês Yasser Abbas sublinhou que “a posição do Sudão é baseada na necessidade de dar à União Africana o papel de um facilitador através dos seus peritos nomeados.”

Ele destacou que “as negociações conduzidas no último período não foram efetivas, pois ocorreram diretamente entre os três países envolvidos, cujas posições divergiram desde o início”.

Ele também afirmou que “o Sudão saúda o projeto de acordo inicial preparado pelos especialistas”, exigindo “uma referência clara para o próximo passo”, sugerindo que “os Estados envolvidos possam fazer suas observações sobre o projeto em reuniões bilaterais com especialistas para que eles pode preparar o segundo rascunho. ”

LEIA: Sudão é o país do Nilo mais afetado pelas obras da Represa do Renascimento

O Ministro das Relações Internacionais e Cooperação na África do Sul, Naledi Pandor, anunciou que o arquivo das negociações da Grande Barragem Renascença da Etiópia seria submetido ao Presidente da África do Sul, que preside a atual sessão da Assembleia da União Africana.

A Etiópia está construindo uma barragem de US$ 5 bilhões perto da fronteira com o Sudão, que afirma fornecerá ao país a tão necessária eletricidade e regeneração econômica. O Egito acredita que vai restringir seu acesso às águas do Nilo.

O Egito depende quase inteiramente da água do Nilo, recebendo cerca de 55,5 milhões de metros cúbicos por ano do rio, e acredita que o enchimento da barragem afetará a água de que necessita para beber, agricultura e eletricidade.

Cairo quer que a Etiópia garanta que o Egito receberá 40 bilhões de metros cúbicos ou mais de água do Nilo. O ministro da Irrigação da Etiópia, Seleshi Bekele, disse que o Egito abandonou a demanda, mas insiste que não e emitiu uma declaração nesse sentido.

Há também uma questão não resolvida sobre a rapidez com que a barragem será preenchida, com o Egito temendo que se ela for preenchida muito rapidamente, isso poderia afetar a eletricidade gerada pela barragem de Aswan High.

Categorias
ÁfricaÁfrica do SulEgitoEtiópiaNotíciaOrganizações InternacionaisSudãoUnião Africana
Show Comments
Show Comments