Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Teólogos islâmicos condenam fatwa saudita contra a Irmandade Muçulmana

Ali Moheiddin al-Qaradaghi, secretário-geral da União Internacional de Sábios Islâmicos (IUMS), durante coletiva de imprensa em Doha, capital do Catar, 1° de dezembro de 2017 [Karim Jaafar/AFP/Getty Images]
Ali Moheiddin al-Qaradaghi, secretário-geral da União Internacional de Sábios Islâmicos (IUMS), durante coletiva de imprensa em Doha, capital do Catar, 1° de dezembro de 2017 [Karim Jaafar/AFP/Getty Images]

No sábado (28), a União Internacional de Sábios Islâmicos emitiu seu repúdio a uma fatwa (pronunciamento religioso) da Arábia Saudita que descreveu o grupo Irmandade Muçulmana como “terrorista e desgarrado”, reportou a agência Quds Press.

Em nota assinada pelo presidente Ahmad Al-Raysuni e pelo secretário-geral Ali al-Qaradaghi, a entidade declarou: “A Irmandade Muçulmana é um grupo islâmico com história de serviços à religião. Acusá-la de ser um órgão desgarrado, terrorista e criminoso, sem evidências, é falso testemunho”.

Ainda em novembro, o Conselho de Ulemás e a Presidência Geral da Pesquisa Acadêmica e Ifta, ambos órgãos religiosos do estado saudita, anunciaram que a Irmandade Muçulmana “não possui qualquer relação com o Islã, é um grupo desgarrado”.

O Conselho de Fatwa dos Emirados Árabes Unidos reiterou a alegação saudita.

‘A Irmandade é um grupo terrorista que não representa o método do Islã’, declarou o Ministério de Relações Exteriores da Arábia Saudita

“A Irmandade Muçulmana existe, é bem conhecida em todo o mundo e possui dezenas de milhares de membros e apoiadores em diversos países, incluindo Arábia Saudita”, argumentou a nota da União Internacional de Sábios Islâmicos. “[O grupo] possui presença política e de defesa de direitos em quase todo o mundo”.

A entidade destacou também que difamar a Irmandade via declaração da Comissão de Fatwa da Arábia Saudita é motivo de indignação aos muçulmanos do reino e exterior, “ao mesmo tempo agrada os inimigos do Islã, sobretudo, o estado da ocupação sionista”.

Segundo a nota da instituição de acadêmicos islâmicos, o pronunciamento sobre a Irmandade Muçulmana resulta de “absoluta submissão” dos órgãos sauditas ao establishment político, “a despeito de sua opressão e absurdos.”

Em resposta à fatwa saudita, a Irmandade Muçulmana reiterou tratar-se de um grupo “reformista e de defesa de direitos, não terrorista”.

A União Internacional de Sábios Islâmicos é um órgão religioso independente, com sede em Doha, capital do Catar.

LEIA: Irmandade Muçulmana responde ao Conselho Saudita de Estudiosos

Categorias
Arábia SauditaCatarEAUIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments