Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Jornalista Solafa Magdy completa um ano na prisão do Egito

Prisioneira política, jornalista Solafa Magdy [@ ganobi / Twitter]
Prisioneira política, jornalista Solafa Magdy [@ ganobi / Twitter]

Já se passou um ano desde a prisão e detenção da jornalista Solafa Magdy, seu marido e um amigo.

Em 26 de novembro de 2019, Solafa, o fotojornalista Hussam Al-Sayyad e o escritor Mohamed Salah foram presos em um café no Cairo e acusados ​​de espalhar notícias falsas e de ingressar em um grupo proibido.

Eles são amigos de Israa Abdel Fattah, co-fundador do movimento 6 de abril , criado em 2008, e que foi sequestrado em uma rua no Cairo em outubro do ano passado.

Solafa sofre de uma alta contagem de plaquetas e foi torturada na prisão. No início deste ano, foi relatado que ela estava sofrendo de fortes dores nas costas e nos joelhos.

Ela está detida na famosa prisão feminina de Al-Qanater, onde recentemente surgiram relatos de que as forças de segurança invadiram a ala onde os presos políticos estão detidos e começaram a espancá-los e agredi-los.

LEIA: ONU e vários países denunciam prisões de ativistas egípcios

Eles foram privados de visitantes e de exercerem seus direitos e foram ameaçados de novas violações.

Em maio, Solafa recebeu o prêmio Coragem no Jornalismo 2020. Ela é especialista em direitos das mulheres e das minorias, refugiados e assédio sexual no Egito.

Ela fundou a Everyday Footage, uma escola que ensina técnicas de reportagem a jovens jornalistas.

Entre julho de 2013 e julho de 2019, 2.762 mulheres foram detidas no Egito e 125 estão atualmente presas como parte da repressão sem precedentes do regime à população.

O marido de Solafa, Hossam, está detido na famosa Prisão de Tora, que foi descrita como imprópria para humanos.

Presos políticos no Egito são sistematicamente torturados, não recebem assistência médica e são mantidos em condições desumanas.

Apesar das indicações iniciais de que a derrota de Trump traria melhores condições para os detidos do Egito, a prisão na semana passada de três funcionários graduados da Iniciativa Egípcia pelos Direitos Individuais levou analistas a acreditar que o Egito está realmente apertando sua repressão.

Categorias
ÁfricaEgitoNotícia
Show Comments
Show Comments