Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

BDS condena acusações de antissemitismo de Washington

O movimento BDS condenou as declarações do Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nas quais descreveu o movimento como 'antissemita'

O movimento de Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS) condenou as declarações do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, que chamou o movimento de “antissemita”.

“O governo estadunidense, sob liderança de Donald Trump, está tentando desacreditar o movimento”, anunciou o movimento BDS em um comunicado à imprensa.

A declaração acrescenta que o movimento BDS rejeita veementemente todas as formas de racismo, incluindo o preconceito contra os judeus.

“A fanática aliança Trump-Netanyahu está intencionalmente confundindo a oposição ao regime de ocupação, colonização e apartheid de Israel contra os palestinos e também o apelo à pressão não violenta para acabar com esse regime de um lado, com o racismo antissemita do outro, de modo a suprimir a defesa dos direitos palestinos sob a lei internacional”.

LEIA: O futuro governo democrata do Império e suas projeções para o Oriente Médio

Pompeo anunciou a decisão do Departamento de Estado dos EUA de classificar o movimento BDS como uma organização antissemita em uma coletiva de imprensa conjunta com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na última quinta-feira (19).

O movimento BDS, que atua em escala internacional, busca “alcançar liberdade, justiça e igualdade, e trabalha para proteger os direitos inalienáveis do povo palestino”.

O movimento foi capaz de alcançar vários marcos internacionais, o que incomodou Israel, chegando a proibir os membros do BDS de entrarem em seu território.

Categorias
Ásia & AméricasBDSEUAIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments