Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Grupo armênio ataca restaurante turco em Los Angeles, alega embaixador da Turquia

Restaurante turco ‘Istanbul Café’ foi supostamente atacado por um grupo armênio em Los Angeles, Califórnia [Serdar Kilic/Twitter]
Restaurante turco ‘Istanbul Café’ foi supostamente atacado por um grupo armênio em Los Angeles, Califórnia [Serdar Kilic/Twitter]

Um grupo armênio atacou um restaurante turco-americano em Beverly Hills, Califórnia, destruindo as paredes do local e quebrando mesas e cadeiras, alegou Serdar Kilic, embaixador da Turquia nos Estados Unidos, via Twitter, nesta quinta-feira (5).

Kilic exortou a polícia local e federal a proteger os direitos e propriedades de cidadãos turco-americanos e levar os responsáveis à justiça.

“Ao prefeito [Eric Garcetti], membros da comunidade turco-americana em Los Angeles também são eleitores e esperam que o senhor os apoie e condene inequivocamente o ataque a um estabelecimento turco na cidade, como crime de ódio motivado por racismo, executado por um grupo de extremistas armênios”, declarou Kilic, no Twitter.

Embaixador turco nos EUA exorta o prefeito de Los Angeles a condenar ataque contra restaurante turco-americano como crime de ódio

Reiterou o embaixador: “Condeno veementemente o ataque contra um negócio turco-americano por um grupo de radicais armênios, em Beverly Hills.”

Em 27 de setembro, o Exército do Azerbaijão lançou uma operação na região de fronteira de Nagorno-Karabakh, supostamente em resposta a um ataque armênio contra áreas civis. Tropas azeris conseguiram conquistar as cidades de Jabrayil, Fuzuli e Hadrute e dezenas de aldeias.

Após confrontos, o vice-presidente turco Fuat Oktay declarou que Ancara não hesitaria em enviar soldados e conceder apoio militar ao aliado Azerbaijão, caso o governo solicitasse, a qualquer momento.

Relações entre Armênia e Azerbaijão são tensas, em particular, desde 1991, quando tropas armênias ocuparam a região de Alto Karabakh, conhecida como Nagorno-Karabakh, região reconhecida internacionalmente como território azeri, porém, com maioria étnica armênia.

Desde então, a população local desenvolveu um governo armênio autônomo, a despeito de quatro resoluções do Conselho de Segurança e duas resoluções da Assembleia Geral da ONU, que reivindicam a retirada da ocupação.

LEIA: Onde vai Nagorno-Karabakh?

Categorias
ArmêniaÁsia & AméricasAzerbaijãoEstados UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioTurquia
Show Comments
Show Comments