Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Qual a posição do Irã no conflito de Nagorno-Karabakh?

Azerbaijanos, que vivem em Istambul, se reúnem na Praça Beyazit em apoio à luta de seu país contra a Armênia, em 4 de outubro de 2020 [Agência Elif Öztürk / Anadolu]

Embora a maior parte da atenção esteja voltada para as posições da Rússia e da Turquia no conflito em curso sobre a região de Nagorno-Karabakh, o Irã recebe menos atenção. Os primeiros são os patrocinadores regionais diretos dos partidos armênio e azeri na crise, mas o Irã provavelmente será o mais afetado pelo resultado. Além de ter longas fronteiras terrestres com as duas partes em conflito, também há uma grande minoria azeri no Irã; mais, na verdade, do que os que vivem no próprio Azerbaijão.

Desde o início do conflito por Nagorno-Karabakh, após o colapso da União Soviética, o Irã assumiu uma postura pró-armênia, embora a maioria da população azeri seja xiita (mas a religião não desempenha um papel importante em suas vidas) . Embora o Irã tenha se apresentado como um mediador na luta atual, hoje ele tem motivos políticos, econômicos e geopolíticos para impedir que o Azerbaijão alcance uma vitória militar.

Uma vitória do Azerbaijão significaria que cerca de 130 quilômetros seriam adicionados às fronteiras do Irã com seu vizinho. Teerã teme que isso leve a um aumento do separatismo entre seus milhões de cidadãos azeris, especialmente porque um grupo no Azerbaijão acredita que o Irã está ocupando o “sul do Azerbaijão” nas províncias iranianas do leste e oeste do Azerbaijão. O mesmo grupo pede o estabelecimento do Grande Azerbaijão, para incluir todos os azerbaijanos em ambos os lados da fronteira com o Irã. Teerã agora teme que uma vitória azeri na guerra com a Armênia fortaleça necessariamente a influência da Turquia no sul do Cáucaso – os azeris são um povo turco – e alimente seu crescimento regional geral. Esta é uma preocupação para o Irã, que tem sua própria influência na região a considerar.

LEIA: É um desafio apoiar o Azerbaijão quando seu governo é pró-Israel

Além disso, o Irã está preocupado com os projetos de energia que a Turquia está estabelecendo com ou através do Azerbaijão e do Turcomenistão, com o objetivo de fornecer petróleo e gás do Mar Cáspio aos mercados europeus. Isso reduziria a dependência da Turquia de gás e petróleo do Irã e da Rússia, e Teerã acredita que isso também reduz a importância de seus próprios projetos futuros e mina sua ambição de ser uma importante fonte de energia para a Europa. Os três oleodutos de energia existentes do Cáspio à Turquia evitam passar pelo território iraniano e russo. Para o Irã – e também para a Rússia – é importante que Nagorno-Karabakh permaneça nas mãos dos armênios, porque tem vista para o vale através do qual o Azerbaijão bombeia 80% de suas exportações de petróleo e gás. O pensamento é que isso pode ser ameaçado se for necessário pressionar a Turquia e a Europa.

Armênia / Azerbaijão lutando contra a fúria - charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

Armênia / Azerbaijão lutando contra a fúria – charge [Sabaaneh / Monitor do Oriente Médio]

Embora a relação azerbaijani-turca seja uma fonte de confusão em Teerã, isso também se aplica à inclinação do Azerbaijão de se tornar um centro da OTAN no Mar Cáspio, especialmente se surgir como um aliado em que se possa confiar ao vencer a Armênia. O Irã conta com a posição francesa de apoio à Armênia para conter a tentativa de reaproximação do Azerbaijão com o Ocidente, mas isso pode não ter sucesso à luz do desacordo franco-americano em uma série de questões, não apenas sobre o próprio Irã, bem como o Líbano, a Líbia e a ascensão da Turquia como uma força regional.

LEIA: Irã não tolerará que guerra Azerbaijão-Armênia entorne em suas fronteiras, alerta oficial

Não menos importante do que tudo isso é a apreensão do Irã sobre a relação entre Israel e o Azerbaijão, e a forte presença de segurança israelense em Baku. Alguns no Irã acusam o Azerbaijão de ser a fonte da maioria dos ataques a instalações vitais iranianas, especialmente a instalação nuclear de Natanz no verão passado. Com os Emirados Árabes Unidos normalizando suas relações com Israel, o Irã está ameaçado pela presença israelense no Azerbaijão ao norte e no Golfo ao sul.

Neste estágio, os interesses do Irã se limitam a prevenir a propagação da violência através da fronteira em seu próprio território e, possivelmente, o risco de uma onda de pessoas deslocadas. Está considerando todos esses fatores ao monitorar o desenvolvimento do conflito em suas fronteiras ao norte.

Este artigo foi publicado pela primeira vez em árabe em Al-Araby Al-Jadeed em 7 de setembro de 2020

As opiniões expressas neste artigo são de responsabilidade do autor e não refletem necessariamente a política editorial do Middle East Monitor.

Categorias
ArmêniaArtigoÁsia & AméricasAzerbaijãoIrãOpiniãoOriente Médio
Show Comments
Show Comments