Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Vaticano convoca representantes dos EUA e Israel sobre anexação da Cisjordânia

Presidente da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas encontra-se com o Papa Francisco durante visita à Cidade do Vaticano, 3 de dezembro de 2018 [Thaer Ghanaim/Presidência Palestina/Agência Anadolu]
Presidente da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas encontra-se com o Papa Francisco durante visita à Cidade do Vaticano, 3 de dezembro de 2018 [Thaer Ghanaim/Presidência Palestina/Agência Anadolu]

O Vaticano, em medida bastante incomum, convocou os embaixadores do Estados Unidos e Israel para expressar receios da Santa Sé sobre medidas israelenses para impor “soberania” a assentamentos ilegais na Cisjordânia ocupada e de toda a região do Vale do Jordão. As informações são da agência Reuters.

Nesta quarta-feira (1°), a Santa Sé relatou em comunicado que o Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano, reuniu-se com a Embaixadora dos EUA Callista Gingrich e o Embaixador de Israel no dia anterior.

Segundo uma fonte diplomática à Reuters, Parolin encontrou-se com ambos os representantes separadamente, detalhe que não ficou claro na declaração do Vaticano.

Parolin, que possui o mais alto cargo diplomático no Vaticano, expressou “preocupação da Santa Sé concernente a possíveis ações unilaterais que possam prejudicar a busca pela paz entre israelenses e palestinos, além da situação delicada no Oriente Médio”.

LEIA: Conselho Mundial de Igrejas reivindica sanções da União Europeia contra Israel

Líderes israelenses decidiram em maio que deliberações parlamentares e de gabinete, sobre a anexação de grandes partes da Cisjordânia, em coordenação com Washington, poderiam ter início em 1° de julho.

Entretanto, não há ainda qualquer consenso com Washington sobre detalhes da medida, proposta pelo “plano de paz” do Presidente dos Estados Unidos Donald Trump, anunciada em janeiro. Conversas com a Casa Branca ainda estão em curso; nenhuma reunião do gabinete israelense foi agendada para a data prevista.

A declaração do Vaticano reiterou seu apoio à solução de dois estados, ao alegar: “Israel e o Estado da Palestina possuem o direito de existir e viver em paz e segurança, com fronteiras reconhecidas internacionalmente.”

O Vaticano exortou israelenses e palestinos a fazer todo o possível para retomar o processo de negociações diretas com base nas resoluções da ONU.

Os palestinos reivindicam os territórios ocupados, sem qualquer exclusão da Cisjordânia e Jerusalém Oriental, para estabelecer um futuro estado.

Em demonstração de união palestina, cerca de 3.000 pessoas na Faixa de Gaza, incluindo membros do partido Fatah e do grupo rival Hamas, que administra o território litorâneo, protestaram lado a lado contra a anexação.

LEIA: Europa não reconhecerá anexação israelense da Cisjordânia, reitera Alemanha

Categorias
Ásia & AméricasEUAEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaVaticano
Show Comments
Show Comments