Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Labour britânico exonera parlamentar que criticou treinamento israelense da polícia dos EUA

Políticos do Reino Unido afirmaram que a crítica se trata de uma tentativa de responsabilizar Israel pelo racismo sistêmico dos Estados Unidos e pela morte de George Floyd

Rebecca Long-Bayley, ex-candidata à liderança do Partido Trabalhista do Reino Unido, foi exonerada do gabinete paralelo – composto pela oposição para refletir a estrutura do governo – sob acusações de antissemitismo, após compartilhar uma entrevista com a atriz Maxine Peake.

A atriz britânica, notória defensora dos direitos palestinos, falou sobre o movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e mencionou o fato de que forças israelenses regularmente oferecem treinamento à polícia dos Estados Unidos sobre táticas repressivas e violentas, durante entrevista ao jornal britânico The Independent.

Peake foi criticada por alegar que as forças de Israel ensinam a técnica de sufocamento, com o joelho sobre o pescoço, à polícia americana. A tática brutal foi utilizada por Derek Chauvin contra o cidadão negro George Floyd, em Minnesota. Floyd faleceu após quase nove minutos de asfixia.

Na entrevista, afirmou Peake: “O racismo sistêmico é uma questão global. A tática utilizada pela polícia nos Estados Unidos, ajoelhando-se sobre o pescoço de George Floyd, foi ensinada durante seminários com serviços secretos de Israel.”

LEIA: Ong de direita quer banir cantora das rádios por criticar soldados israelenses

A técnica é bastante conhecida entre os palestinos como uso comum pelas forças de Israel. Contudo, um porta-voz da polícia israelense negou as acusações.

Técnica de asfixia que matou George Floyd é utilizada diariamente contra os palestinos

Políticos do Reino Unido afirmaram que a crítica se trata de uma tentativa de responsabilizar Israel pelo racismo sistêmico dos Estados Unidos, enraizado nas práticas policiais há séculos, além da morte de George Floyd.

Long-Bailey compartilhou a entrevista, que viralizou, com a legenda: “Maxine Peake é um verdadeiro diamante”. A atriz falou também de seu último filme Fanny Lye Deliver’d, suas convicções socialistas e o resultado das eleições gerais no Reino Unido, em 2019.

No Twitter, Peake e Long-Bailey foram amplamente acusadas de suposto “antissemitismo”.

Conforme relatos, o gabinete do líder do Partido Trabalhista Keir Starmer a princípio aprovou uma declaração de Long-Bailey sobre a questão; entretanto, posteriormente exonerou a parlamentar do gabinete paralelo, devido ao artigo.

Um relatório da organização humanitária Anistia Internacional, publicado em 2016, revelou que  forças policiais dos Estados Unidos, em todo o país, viajam a israel a fim de aprender táticas da polícia israelense, em particular, sobre controle de massa, uso da força e vigilância.

LEIA: Narrativas sobre a invisibilidade

Categorias
Ásia & AméricasEUAEuropa & RússiaIsraelNotíciaOriente MédioPalestinaReino UnidosVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments