Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Em Dubai, 70% das empresas deverão fechar dentro de seis meses, devido ao covid-19

Funcionário utiliza máscara e luvas de proteção devido à pandemia de coronavírus (covid-19), no chamado Bazar do Ouro de Dubai, Emirados Árabes Unidos, 13 de maio de 2020 [Karim Sahib/AFP/Getty Images]

Pesquisa conduzida pela Câmara de Comércio e Indústria de Dubai (DCCI) revelou que 70% das empresas no emirado deverão suspender suas atividades dentro de seis meses, devido à pandemia de coronavírus e à subsequente crise econômica, com grave redução de demanda em vários campos do mercado.

O estudo publicado na quinta-feira (21), intitulado “Impacto do covid-19 sobre a comunidade empresarial de Dubai”, entrevistou 1.228 executivos que operam em diversos setores, no período entre 16 e 22 de abril, pico do fechamento dos negócios em Dubai.

Mais de dois terços dos entrevistados revelaram que há uma possibilidade média a alta de deixar o mercado dentro do próximo semestre. Dos entrevistados, 27% sugeriram esperar perder negócios ainda no próximo mês; 43% esperam suspender atividades em seis meses.

Vale ressaltar que Dubai desfruta de uma das economias mais diversificadas da região do Golfo, menos dependente do petróleo e mais vinculada a setores como hotelaria, turismo, entretenimento, logística, imóveis e varejo.

LEIA: Dubai corta gastos em razão da pandemia

A pesquisa indicou ainda que quase metade dos renomados hotéis e restaurantes de Dubai deve suspender permanentemente suas operações no próximo mês.

Segundo as estimativas, 74% das agências de viagens e 30% das empresas de transporte e armazenamento devem encerrar atividades no mesmo período.

No documento, a Câmara de Comércio e Indústria reiterou: “As medidas para fechamento abrangente e parcial da cidade pressionam taxas de demanda nos principais mercados à situação de paralisia plena. O impacto do duplo choque reduziu a atividade econômica a níveis sem precedentes, que não foram sentidos sequer durante a crise financeira global de 2008.”

Entretanto, um porta-voz da entidade emiradense tentou atenuar algumas das conclusões impactantes da pesquisa, ao afirmar: “A Câmara de Comércio e Indústria de Dubai conduziu a pesquisa em apenas 1.228 das 245.000 empresas que operam no emirado, no decorrer do mês de abril, quando procedimentos de fechamento ainda estavam em pico. As respostas dos entrevistados logo refletem expectativas de fechamento a longo prazo.”

“Esperamos melhoria significativa nos indicadores de confiança nos negócios nas próximas semanas e meses, pois as empresas devem retomar operações”, reiterou o porta-voz.

Os resultados da pesquisa chegaram no momento em que o número de infecções pelo novo coronavírus atingiu 26.000 pacientes no país, com 233 mortes registradas, na quinta-feira.

Em 2019, a economia de Dubai cresceu apenas 1,94%, ritmo mais lento reportado desde o colapso econômico após a crise financeira global de 2008-2009.

Mais de dez anos atrás, a recessão global obrigou Dubai a buscar US$ 20 bilhões em forma de resgate financeiro concedido por seu vizinho mais rico e conservador, Abu Dhabi. Estima-se que a pandemia decorra em danos muito mais graves ao emirado do que aqueles causados pela recessão econômica há mais de uma década.

LEIA: Dubai interrompe obras de torre de luxo em setor imobiliário afetado coronavírus

Categorias
CoronavírusEmirados Árabes UnidosNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments