Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Organizações alertam que milhões no Iêmen não têm água e sabão contra coronavírus

Criança desnutrida recebe tratamento no hospital Sabeen na capital iemenita Sanaa, em 7 de outubro de 2019. [Mohammed Hamoud - Agência Anadolu]

Várias organizações de saúde que trabalham no Iêmen alertaram que milhões no país devastado pela guerra não têm acesso a água potável ou sabão, arriscando suas vidas na luta contra a nova pandemia de coronavírus.

Caroline Siegen, diretora da Médicos Sem Fronteiras no Iêmen, Iraque e Jordânia, disse à AFP que milhões de iemenitas não têm acesso à água potável, enquanto outros nem sequer têm acesso ao sabão.

Ela explicou que as organizações de saúde, incluindo a OMS, recomendam a lavagem frequente das mãos como medida preventiva para proteger contra o coronavírus. “Contudo; e se eles não tiverem água limpa? ” ela perguntou.

A agência infantil das Nações Unidas, Unicef, estima que 18 milhões de pessoas, incluindo 9,2 milhões de crianças no Iêmen, não têm acesso direto a “água potável, saneamento e higiene”.

O chefe de comunicações do Unicef Iêmen, Bismarck Swangin, disse à AFP que anos de subinvestimento em sistemas de água e saneamento e o conflito em curso impactaram severamente o acesso das pessoas à água potável.

Segundo Swangin, dos 27 milhões de pessoas no Iêmen, apenas um terço é servido por redes hidráulicas.

A Organização Mundial da Saúde no Iêmen disse à AFP: “Não podemos sobrecarregar o já frágil sistema de saúde no Iêmen”, acrescentando que a “introdução da doença no Iêmen vai invadir hospitais e unidades de saúde”.

Em 2017, o Iêmen sofreu o maior surto de cólera do mundo, que matou mais de 2.000 pessoas.

A guerra, que entrou no sexto ano no Iêmen, levou ao colapso do setor de saúde e deslocou mais de 3,3 milhões de pessoas de suas casas para campos de refugiados, onde o acesso à água potável e ao saneamento é escasso.

LEIA: Coalizão saudita executou mais de 257.000 ataques aéreos no Iêmen em cinco anos

Categorias
CoronavírusIêmenNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments