Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Juízes libaneses usam whatsapp para interrogar detidos em meio ao surto do coronavírus

Juízes no Líbano começaram a interrogar os detidos por vídeo chamada do WhatsApp, de acordo com um tweet da Diretoria Geral das Forças de Segurança Interna na segunda-feira.

Um tweet informou que “à luz das medidas tomadas para impedir a disseminação do coronavírus … um menor sírio (nascido em 2002) que estava preso foi interrogado através do aplicativo de chamada de vídeo do WhatsApp”.

Esse método de interrogatório é o primeiro do gênero no Líbano e faz parte das medidas de distanciamento social adotadas para combater a propagação do vírus COVID-19.

O procurador-geral Ghassan Oueidat emitiu duas circulares em relação à detenção e ao judiciário.A segunda impede detenções, exceto as essenciais, e permite que os juízes interroguem os detidos eletronicamente, desde que o questionamento cumpria a lei.

Ouiedat acrescentou que as autoridades judiciais não devem iniciar investigações enquanto durar o combate ao coronavírus, exceto quando extremamente necessário.

Obedecendo a circular, o exército libanês invadiu o mercado de Trípoli na segunda-feira, fechando todas as lojas e os portões e ordenando que todas as pessoas voltassem para casa, sem detenções.

As lojas que violaram o bloqueio exigido pelo governo foram seladas com cera vermelha e devem enfrentar processos judiciais após o surto.

De acordo com um tweet da conta do Exército libanês, militares entregaram ajuda às áreas mais pobres de Trípoli.

O Exército e as Forças de Segurança Interna (ISF) foram destacados no domingo após ordens do primeiro-ministro Hassan Diab de impor a quarentena com uso de força policial depois que vários moradores foram vistos violando a ordem no fim de semana.

O Líbano registrou quatro mortes e 304 casos confirmados, incluindo dois ex-ministros, May Chidiac e Mohammad Safadi.

A porta-voz da UNIFIL Andrea Tenenti disse que um soldadotestou positivo ao voltar das férias em 15 de março, e agora “está em completo isolamento no Hospital UNIFIL Naqoura e todas as medidas de precaução foram seguidas para impedir a propagação do vírus. ”

Acredita-se que quatro soldados tenham tido contato direto com o pacificador infectado, com três testes negativos e o quarto aguardando resultados.

Todos os quatro permanecerão em quarentena por enquanto, de acordo com o comunicado.

O Líbano está em confinamento oficial há uma semana, com quase todas as instituições públicas e privadas fechadas e os portos internacionais terrestres, aéreos e marítimos fechados.

LEIA: Líbano declara estado de emergência por medo de coronavírus

 

Categorias
LíbanoNotíciaOriente Médio
Show Comments
Show Comments