Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Arábia Saudita e EAU reservam US$ 40 bilhões para resgatar economias afetadas pelo coronavírus

Banco de Investimentos da Arábia Saudita [Argaam Plus/Twitter]

Os bancos centrais dos Emirados Árabes Unidos (EAU) e da Arábia Saudita, as duas maiores economias árabes, anunciaram no sábado (14) um plano de estímulo no valor combinado de US$ 40 bilhões para amenizar o impacto do surto de coronavírus em seus respectivos países. As informações são da agência Reuters.

Nos Emirados Árabes Unidos, onde a pandemia afetou setores econômicos de destaque como turismo e transporte, a agência reguladora nacional anunciou que planeja conceder apoio a bancos e negócios no país no valor de 100 bilhões de dirham (US$ 27 bilhões).

Em outra ocasião, a Autoridade Monetária da Arábia Saudita (SAMA) afirmou ter preparado um pacote de 50 bilhões de riyals (US$ 13.32 bilhões) para ajudar pequenas e médias empresas diante dos impactos econômicos do coronavírus.

Até então, a doença infectou 85 pessoas nos Emirados Árabes Unidos e 105 pessoas na Arábia Saudita.

Os recursos sauditas pretendem garantir às pequenas e médias empresas um adiamento de seis meses para cobrir débitos bancários, além de isenções fiscais e financiamentos relacionados a um programa de garantia de empréstimos, declarou a SAMA.

Nos Emirados Árabes Unidos, concertos musicais, eventos esportivos e conferências industriais e empresariais foram cancelados ou adiados nas últimas semanas, a fim de conter o contágio do novo coronavírus.

Em Dubai – centro de comércio, finanças, turismo e transporte no Oriente Médio –, alguns setores do mercado já começaram a sentir as dores da recessão global causada pela pandemia.

A Arábia Saudita suspendeu a peregrinação da Umrah e isolou a província de Qatif, no leste do país, onde muitos casos foram registrados. Além disso, autoridades sauditas planejam interromper todos os voos internacionais por duas semanas a partir deste domingo.

O Banco Central dos Emirados Árabes Unidos (CBUAE) declarou que deverá fornecer 50 bilhões de dirhams (US$ 13.5 bilhões) por meio de empréstimos colaterais a custo zero para todos os bancos que operam no país, além de um adicional no mesmo valor a partir de reservas de capital de credores.

“O CBUAE está permitindo que os bancos liberem suas reservas de capital regulatórias para implementar a capacidade de crédito e conceder apoio à economia nacional”, afirmou em declaração a autoridade financeira emiradense.

A declaração também observou que o plano oferece subsídios a bancos de até seis meses para adiar o pagamento de juros sobre empréstimos extraordinários concedidos a empresas privadas e clientes do varejo.

LEIA: Rússia não descarta novas conversas com Arábia Saudita sobre produção de petróleo

Categorias
Arábia SauditaCoronavírusEUANotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments