Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

“Não vamos ceder um único centímetro da terra de Israel aos árabes”, diz ministro de Israel

Ministro da Defesa de Israel, Naftali Bennett [HNM News/Facebook]

O ministro da Defesa de Israel, Naftali Bennet, emitiu uma nota desafiadora ontem, antes da publicação do plano de paz do governo Trump para a região, prevista esta semana, conforme informou o Haaretz.

“Em nenhum caso, sob nenhuma condição, permitiremos o estabelecimento de um estado palestino ou o reconhecimento desse estado e não abandonaremos um único centímetro da terra de Israel aos árabes” – discursou Bennett em Ariel, um importante assentamento na Cisjordânia ocupada.

O ministro disse ainda que “sob nenhuma condição” Israel “permitirá o estabelecimento de um estado palestino”.

Os relatórios sugerem que a Casa Branca revelará os contornos políticos de seu plano amanhã, com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o líder da oposição Benny Gantz em Washington para manter conversações com o presidente Donald Trump.

“Antes de nós, perante o governo, existe uma chance única na vida, uma vez em 50 anos, de estender a lei israelense a mais de meio milhão de cidadãos e ao longo do vale do Jordão e Gush Etzion”, declarou Bennett.

“Esse é o nosso sonho há muitos anos. Eles estão perguntando qual posição tomaremos “, acrescentou. “Nossa resposta: anexação – apoiamos o plano. Sem anexação – não apoiaremos o plano “.

Bennett, um defensor de longo prazo da anexação unilateral de partes da Cisjordânia ocupada, pediu às autoridades israelenses que tomassem medidas.

“Em mais uma semana aqui, a cidade de Ariel poderá finalmente ser uma parte oficial do estado, assim como Tel Aviv”, disse ele. “Se isso acontecer, o gabinete apoiará totalmente o ‘acordo do século'”.

As declarações do ministro foram feitas quando Netanyahu partiu para os EUA, dizendo aos repórteres: “Cinco anos atrás, eu compareci ao Congresso em Washington porque tive que enfrentar um plano desenvolvido por um presidente americano”, referindo-se ao acordo nuclear de Barack Obama com Irã.

“Eu acreditava que aquele plano comprometia a mera existência de Israel”, acrescentou Netanyahu. “Hoje estou indo para trazer de volta um plano que acredito que irá promover os interesses de Israel. Na terça-feira, faremos história. “

Categorias
Ásia & AméricasEUAIsraelNotíciaOriente MédioPalestine
Show Comments
Show Comments