Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Lider ortodoxo de Jerulalém diz que os cristãos devem defender a Palestina

'Permaneceremos em Jerusalém, defendendo nossos locais e legados religiosos. Rejeitamos as políticas da ocupação. Não nos renderemos"

No vídeo, o arcebisbo Atallah Hanna alerta as igrejas do mundo sobre o sofrimento do povo palestino, lembra que Jerusalém é a cidade sagrada para três religiões e envia mensagem de Natal. Não é possível celebrar a data sem lembrar que o cristianismo vem da Palestina.

O arcebispo palestino da Igreja Ortodoxa Grega de Jerusalém, Atallah Hanna, se manifestou contra a ocupação israelense e enfatizou seu apoio ao povo e à causa palestina, pedindo aos cristãos de todo o mundo que façam o mesmo.

Falando exclusivamente ao MEMO na “Primeira Conferência Global sobre o Apartheid Israelense”, realizada em Istambul na semana passada, Hanna disse: “A cidade de Jerusalém é a cidade das três religiões abraâmicas… Palestinos cristãos e muçulmanos que vivem em Jerusalém sofrem com a ocupação, sofrem repressão, tirania e opressão.”

Ele enfatizou as políticas crescentes que impõem o apartheid na cidade santa e no resto da Palestina, afirmando:

“A ocupação em Jerusalém está nos tratando como se fôssemos convidados e estrangeiros em nossa própria cidade. Esta é a personificação das políticas e práticas do apartheid contra nosso povo em Jerusalém especificamente e na Palestina em geral.”

Hanna foi firme em seu compromisso em não permitir que o sistema de apartheid imposto pelo governo de Israel – que separa palestinos de israelenses judeus e os trata como cidadãos de segunda classe, sem direitos iguais, sem acesso a certas áreas, empregos, meios de subsistência e recursos – expulse os cristãos da cidade e os impeça de defender a causa e a justiça palestinas.

“Nós permaneceremos em Jerusalém, defendendo nossos locais religiosos e doações. Rejeitamos as políticas da ocupação. Nós não vamos nos render. Nosso lema será sempre: liberdade e dignidade para o povo palestino. Nossos locais religiosos permanecerão nossos. Jerusalém continuará sendo nossa.”

Ele também falou do apoio dos EUA a Israel, sem responsabilizar o Estado judeu por suas violações aos direitos humanos e ao direito internacional, acrescentando: “Rejeitamos as decisões injustas da América de apoio às políticas israelenses e a ocupação de Jerusalém”.

O arcebispo Hanna também enviou uma forte mensagem para os cristãos em todo o mundo, lembrando-lhes que: “Em alguns dias, os cristãos celebrarão o Natal em todo o mundo. As ruas e praças da cidade serão decoradas com luzes, adornos e árvores de Natal na Europa e no mundo. Gostaria de lembrar a todos os cristãos de todo o mundo: não faz sentido celebrar o Natal se você não prestar atenção ao que está acontecendo na Palestina, pois é o local de nascimento de Cristo e de onde o cristianismo se originou e espalhou sua mensagem por todo o mundo. A gruta da natividade fica em Belém. A verdadeira luz do Natal emanava de Belém.”

Hanna enfatizou que as raízes do cristianismo em Jerusalém e na terra da Palestina significam que a opressão na própria terra em que Jesus nasceu deve ser enfrentada e combatida, em lugar da postura pró-Israel e sionista com a qual muitos cristãos do Ocidente se associam. A contínua ocupação israelense e o sistema de apartheid levaram o Arcebispo a “convocar todas as igrejas do mundo, no oeste e no leste, a defender urgentemente a Palestina, os filhos da Palestina e a causa palestina. Que nossa mensagem neste Natal seja para libertar a Palestina e o povo palestino.”

Categorias
EntrevistasIsraelOriente MédioPalestinaVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Show Comments