Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Presidente da Turquia afirma discutir com Trump a compra de mísseis Patriot

Presidente da Turquia Recep Tayyp Erdogan encontra-se com o Presidente dos Estados Unidos Donald Trump na reunião dos líderes do G20, em Buenos Aires, Argentina, 1° de dezembro de 2018 [Presidência da Turquia/Murat Cetinmuhurdar/Agência Anadolu]

O Presidente da Turquia Recep Tayyp Erdogan afirmou que voltará a discutir ainda este mês a compra dos mísseis americanos Patriot com o Presidente dos Estados Unidos Donald Trump. Segundo Erdogan, sua relação pessoal com o líder americano é capaz superar a crise causada pela compra de sistemas de defesa russos por Ancara. As informações são da agência Reuters.

A compra realizada pela Turquia de sistemas balísticos russos S-400, no último mês de julho, trouxe possibilidades de sanções americanas. Na ocasião, o Departamento de Estado americano afirmou que a oferta de venda a Ancara de sistemas de mísseis de defesa Patriot, fabricados pela Raytheon Co., havia expirado.

No entanto, Erdogan relatou à Reuters que voltou a discutir a compra dos mísseis Patriots por telefone com Donald Trump, há duas semanas atrás, e que dará seguimento às negociações quando encontrá-lo na Assembleia Geral das Nações Unidas, prevista para a próxima semana.

“Eu disse: não importa qual pacote de S-400s que obtivemos, ainda podemos comprar alguma quantidade de mísseis Patriots,” declarou Erdogan à Reuters, nesta sexta-feira (13).

“Contudo, também disse que temos de ver condições que sejam ao menos coerentes com os S-400s,” afirmou Erdogan, acrescentando que se referia à possibilidade de produção conjunta e termos de empréstimos favoráveis.

“Ele [Trump] respondeu: ‘Você está falando sério?’. Eu disse que sim,” relatou Erdogan. Segundo o presidente turco, eles se comprometeram a discutir maiores detalhes durante o encontro na próxima semana.

Ao ser questionado se pediria a Trump para intervir contra a imposição de uma multa severa ao banco Halkbank, cuja maioria das ações pertence ao estado turco, por violar as sanções americanas ao Irã, Erdogan afirmou estar confiante de que podem evitar tamanho “erro”, ao mencionar uma suposta “forma diferente de confiança” entre os presidentes turco e americano.

“Na minha opinião, um país como os Estados Unidos não deseja ferir ainda mais seu aliado, a Turquia. Não é um comportamento racional,” reiterou Erdogan em entrevista concedida no complexo do Palácio Otomano Dolmabahçe, no lado europeu do estreito de Bósforo, em Istambul.

Categorias
Ásia & AméricasEUAEuropa & RússiaNotíciaTurquia
Show Comments
Show Comments