Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Casa Branca dá início a ‘plano de paz’ com seminário econômico sediado no Bahrein

Mike Pompeo (centro), Secretário de Estado dos Estados Unidos, é recebido por Khalid bin Ahmed Al Khalifa (à esquerda), Ministro de Relações Exteriores do Bahrein, junto de oficiais barenitas, no Aeroporto Internacional de Manama, Bahrein, 11 de janeiro de 2019 [Departamento de Estado dos EUA/Agência Anadolu]

A administração de Donald Trump anunciou ontem (19) um “seminário” econômico no Bahrein em junho próximo, cm o qual a Casa Branca começa a apresentar seu chamado “plano de paz” para Israel e Palestina.

Conforme a CNN, citando um oficial sênior da Casa Branca, a reunião tem como objetivo “encorajar o investimento financeiro em Gaza, Cisjordânia e região,”.

O seminário ocorrerá em Manama, Bahrein, de 25 a 26 de junho, “reunindo ministros de finanças com líderes de negócios globais e regionais,” irevelou a notícia.

Jared Kushner, conselheiro sênior da Casa Branca e genro de Donald Trump, afirmou à CNN que “as pessoas estão deixando os conflitos de seus avós destruírem o futuro de suas crianças. Isto apresentará um caminho viável, realista e empolgante para irmos adiante, um caminho que não existe hoje.”

O oficial declarou à CNN que o plano terá quatro componentes principais: “infraestrutura, indústria, empoderamento e investimento no povo, e reformas de governo.”

O plano econômico incluirá uma “combinação de doações financeiras, empréstimos a juros baixos e, assim, também o capital privado,” informou outro oficial sênior à imprensa ontem.

No entanto, o seminário deliberadamente evitará “questões políticas”, incluindo a formação de um Estado palestino, o status de Jerusalém e o tópico dos refugiados palestinos. “Ministros de finanças, e não diplomatas, serão convidados junto a delegações de líderes do empresariado,” destacou a CNN.

“Reconhecemos que o lado econômico tem de caminhar de mãos dadas com o plano político; porém, será a primeira oportunidade de revelar detalhes do plano econômico,” afirmou o primeiro oficial.

Segundo a CNN, “o oficial negou que a largada dessa forma seja feita para apresentar uma ideia de Palestina mais próspera, a fim de encorajar maiores concessões nas conversas políticas posteriores.”

“É duro digerir as propostas políticas e econômicas ao mesmo tempo, já que são duas propostas bastante detalhadas,” declarou o oficial.

Nabil Abu Rudeineh, porta-voz de Mahmoud Abbas, presidente da Autoridade Palestina (AP), respondeu à CNN destacando que o plano é “fútil”.

“Qualquer plano econômico sem horizontes políticos não levará a lugar algum,” afirmou. E concluiu: “Os Palestinos não aceitarão qualquer proposta que exclua um estado palestino com Jerusalém Oriental como sua capital.”

Segundo outras fontes, embora “não se espere que [a Autoridade Palestina] participe do seminário,” um oficial sênior americano teria “anunciado que a Casa Branca convidou um grupo de empresários palestinos e espera que alguns compareçam.”

Categorias
Ásia & AméricasBahreinEUAIsraelNotíciaOriente MédioPalestine
Show Comments
Show Comments