Portuguese / English

Middle East Near You

Oposição de Israel oferece ao primeiro-ministro uma salvação no cargo se ele assinar um acordo de cessar-fogo

Milhares de pessoas segurando faixas e bandeiras israelenses se reúnem durante uma manifestação para exigir um acordo de troca de reféns com Gaza e a demissão do governo liderado por Benjamin Netanyahu, em Tel Aviv, Israel, em 29 de junho de 2024. [Mostafa Alkharouf/Agência Anadolu].

O líder do maior partido de oposição de Israel disse, na segunda-feira, que daria seu apoio ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu no parlamento para mantê-lo no cargo se os outros membros da coalizão governista desistirem do acordo de cessar-fogo como tentativa de derrubá-lo, informa a Reuters.

Netanyahu autorizou seus funcionários a retomar as negociações de um possível acordo com o grupo palestino Hamas para pôr fim aos combates em Gaza e libertar os reféns israelenses capturados em 7 de outubro.

Alguns parceiros de extrema-direita em sua coalizão disseram que sairão se a guerra terminar antes que Israel tenha erradicado o Hamas e libertado os reféns, um resultado que poderia derrubaria o atual governo.

LEIA: Número de mortos em Gaza é subestimado, alerta novo relatório

Yair Lapid, líder do partido Yesh Atid, disse em uma reunião de seu partido: “Há um acordo sobre os reféns na mesa. Não é verdade que Netanyahu tenha que escolher entre o acordo sobre os reféns e a continuação de seu mandato como primeiro-ministro”.

“Deixe-o fazer o acordo”, disse Lapid. “Prometi a ele uma rede de segurança e manterei essa promessa”, disse ele, referindo-se a um cenário em que os parceiros de coalizão de Netanyahu sairiam.

Ele disse que essa era uma decisão difícil de tomar, dada a sua oposição a Netanyahu, mas “o mais importante é trazer os reféns para casa”.

Os dois partidos de extrema direita da coalizão de Netanyahu que se opõem de forma mais implacável a um acordo de cessar-fogo têm um total de 13 assentos no parlamento israelense, enquanto o partido de Lapid tem 24 assentos, de acordo com o site do parlamento.

Categorias
IsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments