Portuguese / English

Middle East Near You

Delegação israelense vai ao Catar para negociações sobre o cessar-fogo em Gaza

Uma visão dos danos na cidade de Khan Yunis, no sul da Faixa de Gaza, após a retirada do exército israelense em Khan Yunis, Gaza, em 5 de julho de 2024. [Abed Rahim Khatib - Agência Anadolu].

Uma equipe de negociação israelense partirá na segunda-feira para o Catar para continuar as negociações sobre um acordo de troca de reféns e um cessar-fogo na Faixa de Gaza com facções palestinas, de acordo com a mídia israelense, citando fontes informadas, informa a Agência Anadolu.

“O diretor da CIA, William Burns, o chefe do Mossad, David Barnea, o primeiro-ministro do Catar, Mohammed bin Abdulrahman, e o chefe da inteligência egípcia, Abbas Kamel, participarão dessas discussões”, informou o jornal Yedioth Ahronoth.

De acordo com as fontes, há também a possibilidade de que Burns visite Israel no final da semana para garantir a aprovação do acordo por Tel Aviv.

Barnea viajou a Doha na sexta-feira para reuniões com o primeiro-ministro do Catar, Mohammed bin Abdulrahman Al Thani, sobre o acordo.

LEIA: Hamas aceita proposta dos EUA de trégua longa com troca de prisioneiros

O Egito, o Catar e os EUA vêm tentando há meses garantir uma trégua e a libertação dos 120 reféns restantes em Gaza.

Israel, desrespeitando uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que exige um cessar-fogo imediato, tem enfrentado a condenação internacional em meio à sua contínua e brutal ofensiva em Gaza desde o ataque de 7 de outubro do grupo palestino Hamas.

Desde então, mais de 38.000 palestinos foram mortos, a maioria mulheres e crianças, e mais de 87.700 ficaram feridos, de acordo com as autoridades de saúde locais.

Quase nove meses após o início da guerra israelense, vastas áreas de Gaza estão em ruínas em meio a um bloqueio incapacitante de alimentos, água potável e medicamentos.

Categorias
ÁfricaCatarEgitoEstados UnidosIsraelNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaTIJ
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments