Portuguese / English

Middle East Near You

Deputado libanês diz que Israel não pode compensar o fracasso do exército na guerra por meio da política

Bombeiros realizam trabalho de extinção após incêndio em 15 locais no norte de Israel devido a mísseis disparados do Líbano e queda de estilhaços durante operações de bloqueio nas Colinas de Golã, em Israel, em 13 de junho de 2024. [Mostafa Alkharouf /Agência Anadolu].

O deputado Hassan Fadlallah, membro do Bloco de Lealdade à Resistência no Parlamento libanês, destacou o fracasso de Israel em obter ganhos durante sua guerra contra Gaza e o sul do Líbano, acrescentando que o que o exército israelense não conseguiu obter na guerra, não conseguirá na política.

Durante uma visita à cidade de Bint Jbeil, no sul do Líbano, Fadlallah, cujo partido é leal ao Hezbollah, falou aos repórteres e destacou a firmeza do povo libanês, apesar dos contínuos confrontos com as forças de ocupação israelenses.O sul do Líbano, disse ele, acaba de testemunhar uma intensa presença popular nos vilarejos fronteiriços para realizar as orações do Eid.

“A resistência se fortalece quando vê essa presença popular nos vilarejos fronteiriços com a Palestina ocupada [Israel]”, ressaltou. “As operações específicas reveladas pela resistência são apenas parte do que ela tem feito, e sempre há surpresas.”

O parlamentar enfatizou que o movimento não está preocupado com as ameaças israelenses, acrescentando que, em vez de transmitir mensagens, o exército deveria pressionar o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, a interromper a agressão contra Gaza.

Destacando o papel dos EUA no genocídio israelense em Gaza, Fadlallah disse que, se Washington quisesse interromper essa agressão, ela teria sido interrompida desde o primeiro dia. O governo dos EUA, acrescentou ele, “é obrigado” a pressionar Netanyahu.

LEIA: Conselheiro de Biden chega a Beirute para aliviar as tensões na fronteira entre Líbano e Israel

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosIsraelLíbanoNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments