Portuguese / English

Middle East Near You

Incêndio no Kuwait mata 49 trabalhadores estrangeiros

Bombeiros tentam conter incêndio no Kuwait, em 17 de abril de 2012 [Yasser Al-Zayyat/AFP via Getty Images]

Ao menos 49 pessoas morreram nesta quarta-feira (12) em um incêndio no distrito de Mangaf, no sul do Kuwait, deflagrado em um edifício que abrigava trabalhadores estrangeiros, segundo informações das agências Reuters e Al Jazeera.

O vice-primeiro-ministro do Kuwait, Fahad Yusuf Saud al-Sabah, acusou os donos do imóvel de cometer violações que contribuíram para o incidente.

As nacionalidades das vítimas não foram reveladas. No entanto, o embaixador da Índia no país, Adarsh Swaika, visitou centros de saúde que receberam os feridos.

Em um único hospital, ao menos 30 cidadãos indianos deram entrada, confirmou a embaixada em suas redes sociais, somando 47 trabalhadores que receberam cuidados.

Relatos apontam que, dentre as mortes, havia numerosos cidadãos do estado de Kerala, no sul da Índia, conforme carta do ministro-chefe do estado, Pinarayi Vijayan, submetida à chancelaria em Nova Delhi, que vazou à imprensa.

LEIA: Kuwait impõe proibição total a criptomoedas

A agência estadual para a diáspora indicou ao menos 41 indianos mortos pelas chamas — onze de Kerala. Detalhes, no entanto, permanecem em aberto.

Ao visitar o local do incêndio, al-Sabah observou: “A ganância de especuladores imobiliários é o que levou a esta tragédia”. Novamente, contudo, sem dar detalhes.

Trabalhadores manuais nos países do Golfo — precariamente remunerados — costumam viver em acomodações superlotadas. Autoridades locais não costumam os modelos de contrato ou o setor nos quais os imigrantes são empregados.

Dados não-oficiais notam mão-de-obra estrangeira em indústrias como construção civil, com a maioria dos trabalhadores oriundos de países do sul e sudoeste da Ásia.

LEIA: Kuwait e Filipinas enfrentam crise por violações e suspensões de vistos de trabalhadores

Um cidadão egípcio que sobreviveu ao incêndio, que trabalha como motorista no país, relatou à imprensa kuwaitiana que as chamas partiram do térreo, obstruindo as rotas de fuga das vítimas que estavam nos andares de cima.

Segundo a testemunha, o prédio foi tomado por fumaça densa.

O emir do Kuwait, sheikh Meshal al-Ahmad al-Sabah, ordenou uma investigação imediata sobre a causa do incêndio. O Ministério do Interior reportou 49 mortos até então, mas operações de buscam e mesmo identificação dos corpos continuam no local.

Mangaf fica junto à costa sul da capital, Cidade do Kuwait — portanto, cidade-dormitório.

Segundo autoridades locais, o incêndio começou às 6h00 da manhã (3h00 GMT).

Um comandante da polícia confirmou que parte dos óbitos ocorreu por asfixia, mas insistiu que dezenas de pessoas foram resgatadas. Seu comunicado tampouco indicou se o edifício infringiu normas e regulações ou carecia de alvarás.

LEIA: O Oriente Médio desempenha um papel vital na produção global de petróleo

Nas redes sociais, o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, afirmou: “Meus pensamentos estão com aqueles que perderam alguém próximo ou entes queridos. Rezo para que os feridos possam se recuperar o mais breve possível”.

Categorias
Ásia & AméricasÍndiaKuwaitNotíciaOriente Médio
Show Comments
Palestina: quatro mil anos de história
Show Comments