Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Lobby sionista convenceu estados a interromper doações a UNRWA, alerta ong

Trabalhadores da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) preparam pacotes assistenciais distribuídos a famílias da Faixa de Gaza, 14 de janeiro de 2020 [Ali Jadallah/Agência Anadolu]

Ali Huwaidi, director da Autoridade 302 em Defesa dos Refugiados, advertiu neste domingo (3) que grupos de lobby sionista obtiveram êxito em convencer diversos países a interromper suas doações à Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA).

Em entrevista à rede Quds Press, reiterou Huwaidi: “A crise na UNRWA jamais foi financeira, mas absolutamente política”. Segundo seu relato, o lobby sionista e sucessivos governos dos Estados Unidos “buscam atacar a questão dos refugiados palestinos e o direito de retorno”.

“O estado da ocupação sionista conduz contatos intensivos com estados que colaboram com o orçamento da UNRWA”, reafirmou Huwaidi. “Os grupos de lobby obtiveram êxito em dissuadir diversos doadores a interromper suas contribuições”.

“O Reino Unido cortou pela metade os recursos encaminhados para 2022. Catar, Arábia Saudita e Kuwait reduziram as contribuições e os Emirados Árabes Unidos suspenderam as doações por completo, em fevereiro de 2021”, acrescentou.

Diante da situação crítica, Huwaidi insistiu que “não existe qualquer alternativa à UNRWA”, estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1949, para lidar com a questão pendente dos refugiados palestinos.

Huwaidi observou que há atualmente seis milhões de refugiados palestinos em todo o mundo. As maiores populações de cidadãos deslocados pela Nakba em curso — ou seja, o processo de limpeza étnica perpetrado por Israel desde 1948 — estão na Faixa de Gaza sitiada, Cisjordânia ocupada, Líbano, Jordânia e Síria.

Segundo Huwaidi, a Autoridade Palestina (AP) deve mobilizar esforços para resolver a crise da UNRWA e preservar os direitos legítimos dos refugiados, incluindo o direito de retorno, como elemento central da questão palestina.

“Mais de US$1 bilhão foi mobilizado nos primeiros dias da guerra russa contra a Ucrânia”, insistiu Huwaidi. “Isso prova que o apoio financeiro à UNRWA não é problema, mas sim o direito de retorno e os próprios refugiados palestinos”.

LEIA: A ONU não protege os palestinos, muito menos os jornalistas

Categorias
Arábia SauditaCatarEmirados Árabes UnidosEuropa & RússiaIsraelJordâniaKuwaitLíbanoNotíciaONUOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestinaReino UnidoSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments