Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Líbano alerta Israel contra expropriação de riquezas marítimas

O Líbano alertou contra a “expropriação” israelense de suas riquezas marítimas, após a chegada de uma instalação flutuante de produção, armazenamento e descarga a águas disputadas

O Líbano alertou neste domingo (5) contra a “expropriação” israelense de suas riquezas marítimas, após a chegada de uma instalação flutuante de produção, armazenamento e descarga a águas disputadas, reportou o jornal jordaniano Assabeel.

A plataforma pertence à corporação grega Energean e chegou ao campo de Karish neste domingo, para explorar bolsões de gás natural.

A mídia israelense reportou que aparatos da Marinha, incluindo submarinos militares e o sistema antiaéreo Domo de Ferro, serão encarregados de conferir segurança à instalação.

Segundo informações, a Energean confirmou o início imediato de operações de acoplamento e solicitação, incluindo a instalação de maquinário e aquisição de gasodutos.

“Espera-se três ou quatro meses de comissionamento antes de começarmos a produção, ao longo do terceiro trimestre deste ano”, declarou a empresa.

Ao descrever o novo avanço como “extremamente perigoso”, o primeiro-ministro em exercício Najib Mikati acusou Israel de “usurpar as riquezas marítimas do Líbano e buscar impor um fato consumado em uma área disputada”.

LEIA: Israel ‘não ousaria disparar uma única bala’ contra o Hezbollah, afirma Teerã

Neste contexto, o presidente libanês Michel Aoun alertou que qualquer atividade em mares disputados pode ser interpretada como ato de agressão ou provocação e afirmou debater a matéria com o governo e com a liderança do exército.

A questão é assolada por uma disputa de fronteiras marítimas em curso entre Líbano e Israel. Em outubro de 2020, foram lançadas negociações indiretas entre as partes, sob mediação da Organização das Nações Unidas (ONU) e dos Estados Unidos. Porém, continuam sob impasse.

O movimento Hezbollah advertiu previamente contra operações israelenses nas águas disputadas, antes que um acordo fosse firmado.

O perímetro sob disputa equivale a 860 km² conforme um mapa da Organização das Nações Unidas (ONU), registrado em 2011.

Em 2020, o Líbano reivindicou uma área adicional 1.430 km², ao insistir que o território disputado equivale, na verdade, a 2.290 km². O estado israelense rejeitou a demanda e suspendeu as negociações.

O campo de Karish contém comprovadamente 1.4 trilhão de pés cúbicos de gás natural e pode representar um divisor de águas no Líbano, que sofre de um colapso fiscal há anos, incluindo a escassez crônica de bens combustíveis.

Categorias
Europa & RússiaGréciaIsraelLíbanoNotíciaOriente MédioVídeos & Fotojornalismo
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments