Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel diz que espera laços com Arábia Saudita e Indonésia, mas não há acordos iminentes

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, em Casablanca, Marrocos, em 12 de agosto de 2021 [Jalal Morchidi/Agência Anadolu]

O principal diplomata de Israel disse, na terça-feira, que espera construir seus acordos mediados pelos EUA em 2020 com quatro nações muçulmanas e estabelecer relações diplomáticas com a Arábia Saudita e a Indonésia, mas esses acordos levariam tempo.

A Arábia Saudita, lar dos dois locais mais sagrados do Islã, e a Indonésia, que tem a maior população muçulmana do mundo, condicionaram qualquer eventual normalização com Israel ao tratamento da busca dos palestinos por um Estado no território capturado por Israel na guerra do Oriente Médio de 1967.

Na Rádio do Exército, o ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid, disse que Israel está procurando “expandir os Acordos de Abraão para outros países” além dos Emirados Árabes, Bahrein, Sudão e Marrocos.

“Se você está me perguntando quais são os países importantes que estamos analisando, a Indonésia é um deles, a Arábia Saudita é claro, mas essas coisas levam tempo”, disse ele.

Lapid acrescentou que “países menores” que ele não identificou podem normalizar as relações com Israel nos próximos dois anos.

LEIA: Israel não é um “Estado” normal

Apesar da ausência de laços oficiais, a Arábia Saudita concordou em 2020 em permitir que voos Israel-EAU cruzassem seu território. O avião do primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, da El Al Israel Airlines, sobrevoou o espaço aéreo saudita quando visitou Abu Dhabi no mês passado.

Uma visita secreta à Arábia Saudita em novembro de 2020 pelo então primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, foi confirmada por autoridades israelenses, mas negada publicamente por Riad. Tanto Israel quanto a Arábia Saudita compartilham preocupações sobre o inimigo comum, o Irã.

Tanto a Arábia Saudita quanto a Indonésia condenaram os ataques aéreos de Israel em Gaza durante 11 dias de hostilidades com militantes palestinos em maio de 2021. Mais de 250 palestinos foram mortos em Gaza. Foguetes disparados pelo Hamas e outros grupos militantes mataram 13 pessoas em Israel.

Categorias
Arábia SauditaÁsia & AméricasIndonésiaIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments