Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Gaza organiza manifestação de solidariedade ‘pró-houthis’ no Iêmen

Apoiadores da Jihad Islâmica Palestina levantam cartazes enquanto se manifestam na cidade de Gaza, em 22 de janeiro de 2022, para denunciar a guerra no Iêmen [Mahmud Hams/AFP via Getty Images]

Palestinos em Gaza realizaram uma manifestação no sábado em solidariedade ao Iêmen contra a guerra em curso no país conduzida pela coalizão liderada pela Arábia Saudita. A coalizão intensificou seus ataques aéreos após o ataque de drones e mísseis da semana passada em Abu Dhabi, reivindicado pelas forças armadas iemenitas aliadas aos houthis.

A manifestação foi organizada pela Jihad Islâmica Palestina (PIJ, na sigla em inglês) e viu manifestantes gritando “Morte à Casa de Saud” e acenando com cartazes do líder do movimento Houthi, Sayyid Abdlulmalik Al-Houthi. De todas as facções da resistência palestina, a Jihad Islâmica é considerada a que tem as relações mais fortes com o Irã, que também apoia e reconhece o governo de fato, liderado pelos houthis, com sede em Sanaa. Teerã interrompeu temporariamente o financiamento do movimento palestino em 2015, depois que inicialmente expressou apoio à coalizão liderada pela Arábia Saudita.

Um comunicado divulgado pelo movimento na sexta-feira condenou a coalizão por atacar civis deliberadamente, descrevendo isso como uma tentativa “desesperada e barata” de quebrar a vontade do povo iemenita e representando um fracasso no campo de batalha. No mesmo dia, a coalizão atacou uma prisão no noroeste do Iêmen, matando 82 pessoas e ferindo pelo menos 200.

LEIA: Guerra no Iêmen matou 17 crianças em janeiro, reporta Unicef

De acordo com Al-Mayadeen, o oficial da Jihad Islâmica Khaled Al-Batsh se dirigiu ao povo iemenita durante a manifestação de sábado, lamentando que “aviões de guerra árabes estejam mirando civis no Iêmen, em vez de atacar a ocupação israelense”.

Embora o Hamas controle o governo de fato na Faixa de Gaza e autorize reuniões públicas, ele não participou oficialmente da manifestação e desde então procurou se distanciar do evento. “Os cânticos contra os Estados árabes e do Golfo de nossa arena palestina não representam nossa posição e política”, disse.

No entanto, o alto funcionário do Hamas Mahmoud Zahar disse que apoiou os ataques de drones houthis contra os Emirados Árabes, um dos principais membros da coalizão. A hashtag “#Palestinos Apoiam os Houthis” também foi tendência nas mídias sociais ontem, mas o sentimento foi denunciado por alguns no Golfo.

O vice-chefe de polícia de Dubai, Dhahi Khalfan Tamim, disse que Zahar deve ser colocado na lista internacional de “mais procurados” dos Emirados Árabes por causa de seus comentários. Ali Khalifa, uma personalidade da mídia dos Emirados, reagiu aos comentários de Zahar e disse que eles serviram como um lembrete de que “os líderes palestinos continuam maliciosos, odiosos e invejosos”. Ele invocou o apoio palestino à invasão do Kuwait pelo Iraque em 1990.

Hoje foi relatado que os Emirados Árabes interceptaram dois mísseis balísticos houthis, enquanto um ataque semelhante foi lançado contra uma área industrial na província de Jazan, no sudoeste saudita. Dois expatriados sofreram ferimentos leves.

LEIA: Os Emirados Árabes Unidos irão recuar em sua guerra contra o Iêmen?

Categorias
Arábia SauditaEmirados Árabes UnidosIêmenNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments