Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Israel, Jordânia e Emirados firmam enorme acordo de energia solar

Painéis de energia solar, 17 de julho de 2018 [Özkan Bilgin/Agência Anadolu]

Israel, Jordânia e Emirados Árabes Unidos (EAU) assinarão um acordo na próxima semana para instalar uma usina de energia solar no território hachemita, reportaram oficiais israelenses nesta quarta-feira (17), segundo informações da agência Anadolu.

O acordo deve ser firmado na segunda-feira (22) em Dubai, na presença de John Kerry, enviado especial dos Estados Unidos para questões climáticas.

Devem assiná-lo: a Ministra de Energia de Israel Karine Elharrar; o Ministro de Recursos Hídricos da Jordânia Raed Abu al-Saud; e o chanceler emiradense Abdullah bin Zayed.

“Trata-se do maior projeto de cooperação regional jamais conduzido entre Israel e seus vizinhos”, reportou o site de notícias Axios, radicado na Virgínia.

LEIA: Bolsonaro e a controversa visita às monarquias do Golfo

“O plano prevê que a fazenda de energia solar financiada pelos Emirados abasteça principalmente Israel, que construirá uma usina de dessalinização em seu litoral mediterrâneo, para fornecer água à Jordânia”, acrescentou a reportagem.

“O acordo tornou-se possível pelos Acordos de Abraão [normalização] e obteve apoio, em sua reta final, por meio de diversos telefonemas de Kerry ao Rei da Jordânia Abdullah II e ao Ministro de Relações Exteriores de Israel Yair Lapid”.

“O acordo não somente aumentará a importância estratégica da relação israelo-jordaniana, que melhorou substancialmente desde que Naftali Bennett substituiu Benjamin Netanyahu como premiê, como também atenuará a crise hídrica na Jordânia”, reiterou o Axios.

O projeto decorre de conversas secretas conduzidas pelos três governos, que tornaram-se mais objetivas a partir de setembro e resultaram em uma proposta no final de outubro.

Segundo as informações, o acordo estava previsto para ser assinado há duas semanas, durante a Conferência das ONU sobre as Mudanças Climáticas (COP26), em Glasgow.

Uma fonte anônima, contudo, observou: “Abdullah estava preparado para ir adiante, mas Bennett pediu para postergar a assinatura sob receios de críticas políticas em âmbito doméstico, dias antes de uma importante votação orçamentária em Israel”.

LEIA: A Arábia Saudita deve produzir localmente 70% dos produtos energéticos de que necessita

Israel precisa de energia renovável, mas carece de terras para fazendas solares. Em contrapartida, a Jordânia precisa de água, mas só pode investir em dessalinização na remota região sul do país — a costa israelense é mais próxima de seus centros urbanos.

A usina será construída pela Masdar, estatal emiradense de energia sustentável.

A fazenda solar deve começar a funcionar até 2026 e produzir ao menos 2% da energia consumida em Israel dentro de quatro anos. O estado da ocupação pagará US$180 milhões por ano ao governo jordaniano e à corporação emiradense, segundo as informações.

Categorias
Emirados Árabes UnidosIsraelJordâniaNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments