Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Cooperação da Interpol com regime sírio preocupa organizações de direitos humanos

Sede da Interpol em Lyon, em 19 de outubro de 2019 [FRED DUFOUR/AFP/Getty Images]

Dezenove organizações sírias de direitos humanos e de monitoramento levantaram preocupações sobre a retomada da cooperação entre a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol) e o regime sírio. A decisão, dizem os grupos, criou medo entre os sírios dentro e fora de seu país.

Embora a Interpol seja “politicamente neutra” e esteja interessada em não prejudicar aqueles procurados por razões políticas, as organizações disseram na terça-feira que o regime de Assad e seus órgãos de segurança e judiciário são capazes de contornar isto simplesmente não reconhecendo a presença de opositores políticos e ativistas civis ou da mídia.

“Desde o início da revolta popular na Síria”, a declaração conjunta apontou, “as agências estatais têm classificado tais opositores e ativistas, incluindo aqueles que trabalham em ajuda humanitária e médica, como terroristas e criminosos procurados”.

As organizações conclamaram a Interpol a reconhecer a possibilidade de o regime sírio abusar de sua adesão ao organismo internacional para emitir mandados de prisão internacionais por razões políticas, e não criminais. Uma cópia da declaração conjunta foi enviada à Interpol.

LEIA: Parente de Assad admite uso de bombas de barril para ‘limpar insetos da terra’

Categorias
InterpolNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments