Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Três refugiados alegam que os Emirados Árabes financiaram Daesh na Síria, num caso histórico no Reino Unido

Um visitante árabe passa por um tanque de batalha exposto fora da Exposição Internacional de Defesa (IDEX) em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, em 23 de fevereiro de 2015 [Gabriela Maj/Bloomberg via Getty Images]

Três refugiados estão alegando que os Emirados Árabes Unidos financiaram crimes de guerra cometidos pelo grupo terrorista Daesh durante o conflito sírio, no que foi descrito como um processo judicial britânico histórico.

De acordo com um relatório exclusivo do Daily Mail, o trio que é requerente de asilo sírio na Grã-Bretanha, está em processo judicial contra o estado do Golfo e alegando que financiou abusos dos direitos humanos em 2015. O caso no Supremo Tribunal é significativo, pois poderia abrir as portas para que as pessoas pudessem pedir contas a patrocinadores estatais estrangeiros de grupos militantes e terroristas através dos tribunais britânicos e poderia desmantelar a defesa da imunidade soberana.

Entre as acusações de Mohamed Al-Saeid, Ahmad Sharaf e Mohamad Damen Al-Sulaiman estão a tortura severa, espancamentos e destruição de propriedade cometidos por jihadistas, apoiados pelos Emirados Árabes Unidos, diz o relatório.

Um dos reclamantes testemunhou “o cheiro de cadáveres e morte se espalhou em minha amada cidade, e não havia mais vida nela”.

Al-Sulaiman, que era um trabalhador da construção civil da aldeia de Nabe Al-Sakher, na província de Quneitra, disse: “Todos os grupos cometeram crimes, danos, bombardeios, torturas e assassinatos. Todos eles são milícias armadas”.

“Eles eram abusivos com as pessoas e queriam transformar nossa sociedade em um regime totalmente conservador”.

“Eles torturaram e mataram muitas pessoas; recusaram nosso estilo de vida que é liberal comparado ao deles. Eles queriam que nos convertêssemos à sua ideologia radical”.

A área, que a certa altura era um viveiro da afiliada da Al-Qaeda Jahbat Al-Nusra (antes de ser rebatizada como Hayat Tahrir Al-Sham), tinha combatentes que vagueavam armados com pistolas Caracal, dotados pelos Emirados Árabes Unidos, diz Al-Sulaiman.

LEIA: Major-general emiradense faz primeira visita oficial a Israel

Sharaf, que é de Nawaa na província de Daraa e que já foi detido por Daesh, acrescentou que “ISIS matou, sequestrou, torturou, prendeu, queimou pessoas que se opunham a eles de qualquer grupo, e que não estão seguindo sua ideologia como cantores, artistas, pintores e músicos e que se recusam a fazer o que lhes é pedido”.

Revelando a suposta ligação dos Emirados com Daesh, disse ele: “Às vezes podíamos ouvir os lutadores falando em seu dialeto padrão árabe, que é diferente do dialeto sírio sobre o dinheiro e os salários atrasados e às vezes sobre os pacotes de ajuda e alimentos do Crescente Vermelho Emirati através de Abu Qotada, um lutador do ISIS jihadi, que vem semanalmente à sua sede nas fronteiras da minha cidade”.

“Eles sempre falavam sobre ‘o Sheikh de Abu Dhabi’ (outro que não Abu Qotada) que virá novamente. Eu entendi pelo que eles disseram que havia um homem encarregado de supervisionar seu trabalho e de pagar seus salários”.

Enquanto isso, Al-Saeid, de Umm Batinah, também na província de Quneitra, disse que quando Daesh tomou posse de sua cidade eles vieram com pacotes de alimentos do Crescente Vermelho, no entanto, ele admitiu que não tem mais nenhuma prova do envolvimento dos Emirados com terroristas além das reportagens da mídia.

Em 2014, os Emirados aderiram à coalizão liderada pelos EUA contra Daesh, mas mais tarde se reposicionaram após a intervenção da Rússia no conflito na Síria. Após relatos recentes de laços econômicos mais estreitos entre Damasco e Abu Dhabi, na semana passada o príncipe herdeiro dos Emirados, Sheikh Mohammed Bin Zayed, discutiu o fortalecimento das relações e da cooperação com o presidente sírio Bashar Al-Assad.

LEIA: Irã é responsável por ataque a base de al-Tanf na Síria, afirmam EUA

Categorias
Emirados Árabes UnidosEuropa & RússiaNotíciaOriente MédioReino UnidoSíria
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments