Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Unicef alerta sobre mulheres e crianças em perigo imediato na Líbia

Crianças se reúnem para uma manifestação como parte do Mundo Dia das Crianças, o dia global de ação da UNICEF em frente ao prédio da Sede das Nações Unidas em Sanaa, Iêmen, em 20 de novembro de 2019. [Mohammed Hamoud - Agência Anadolu] O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou ontem sobre o "perigo imediato" para a segurança e o bem-estar de pelo menos 1.000 mulheres e crianças detidas em centros de detenção de refugiados na Líbia. "Aproximadamente 751 mulheres e 255 crianças estão entre os milhares de migrantes e requerentes de asilo detidos nas recentes prisões em massa realizadas pelas autoridades líbias em diferentes partes da capital", disse o UNICEF em comunicado, apontando que os menores incluem "cinco crianças desacompanhadas e 30 bebês. " "Crianças migrantes e refugiadas na Líbia continuam a enfrentar graves violações dos direitos da criança, incluindo detenção arbitrária", disse Cristina Brugiolo, representante especial da Unicef na Líbia. "As crianças são mantidas em condições devastadoras e desumanas nesses centros de detenção. Podemos presumir que o número real de crianças detidas pode ser muito maior, já que muitos meninos são supostamente colocados em celas com homens adultos." No início deste mês, as autoridades líbias lançaram campanhas de prisão em Trípoli, visando migrantes irregulares. De acordo com a organização Médicos Sem Fronteiras, a campanha de prisões, na qual foi usada violência, teve como alvo pelo menos cinco mil pessoas, incluindo migrantes e refugiados que foram detidos em condições deploráveis. A Unicef e outras organizações humanitárias exortaram as autoridades líbias a "proteger as crianças e impedir que sejam separadas de seus pais, responsáveis ​​e familiares". Também pediu a "libertação imediata de todas as crianças dos centros de detenção em toda a Líbia".

Crianças se reúnem para uma manifestação como parte do Mundo Dia das Crianças, o dia global de ação da UNICEF em frente ao prédio da Sede das Nações Unidas em Sanaa, Iêmen, em 20 de novembro de 2019. [Mohammed Hamoud – Agência Anadolu]

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou ontem sobre o “perigo imediato” para a segurança e o bem-estar de pelo menos 1.000 mulheres e crianças detidas em centros de detenção de refugiados na Líbia.

“Aproximadamente 751 mulheres e 255 crianças estão entre os milhares de migrantes e requerentes de asilo detidos nas recentes prisões em massa realizadas pelas autoridades líbias em diferentes partes da capital”, disse o UNICEF em comunicado, apontando que os menores incluem “cinco crianças desacompanhadas e 30 bebês. ”

“Crianças migrantes e refugiadas na Líbia continuam a enfrentar graves violações dos direitos da criança, incluindo detenção arbitrária”, disse Cristina Brugiolo, representante especial da Unicef na Líbia. “As crianças são mantidas em condições devastadoras e desumanas nesses centros de detenção. Podemos presumir que o número real de crianças detidas pode ser muito maior, já que muitos meninos são supostamente colocados em celas com homens adultos.”

No início deste mês, as autoridades líbias lançaram campanhas de prisão em Trípoli, visando migrantes irregulares.

De acordo com a organização Médicos Sem Fronteiras, a campanha de prisões, na qual foi usada violência, teve como alvo pelo menos cinco mil pessoas, incluindo migrantes e refugiados que foram detidos em condições deploráveis.

A Unicef e outras organizações humanitárias exortaram as autoridades líbias a “proteger as crianças e impedir que sejam separadas de seus pais, responsáveis ​​e familiares”.

Também pediu a “libertação imediata de todas as crianças dos centros de detenção em toda a Líbia”.

LEIA: Órgão de direitos da ONU vota para encerrar investigação sobre crimes de guerra no Iêmen

Categorias
ÁfricaLíbiaNotíciaOrganizações InternacionaisUNICEF
Show Comments
Show Comments