Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Facebook removeu ‘injustamente’ conteúdo palestino, aponta HRW

Facebook na tela de um smartphone, em 4 de outubro de 2021 [Erçin Ertürk/Agência Anadolu]

A Human Rights Watch (HRW) na sexta-feira acusou o Facebook de remover e “suprimir” conteúdo palestino “indevidamente” durante a ofensiva israelense na Faixa de Gaza em maio, incluindo discussões relacionadas a questões de direitos humanos.

Em um relatório, o grupo de direitos humanos anunciou: “O Facebook erroneamente removeu e suprimiu conteúdo por palestinos e seus apoiadores, incluindo sobre abusos de direitos humanos cometidos em Israel e na Palestina durante as hostilidades de maio de 2021”.

O Facebook está censurando a Palestina? [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Durante a ofensiva israelense em Gaza, que resultou na morte de mais de 260 palestinos, incluindo 67 crianças e 39 mulheres, o Facebook e o Instagram suprimiram e removeram conteúdo postado por palestinos e seus apoiadores, posteriormente alegando que foi um erro técnico.

“O reconhecimento da empresa sobre os erros e as tentativas de corrigir alguns deles são insuficientes e não abordam a escala e o escopo das restrições de conteúdo relatado, ou explicam adequadamente por que eles ocorreram em primeiro lugar”, de acordo com a HRW.

Ela acrescentou: “O Facebook deve seguir a recomendação do Facebook Oversight Board em 14 de setembro de 2021, para encomendar uma investigação independente sobre a moderação de conteúdo em relação a Israel e Palestina, particularmente em relação a qualquer preconceito ou discriminação em suas políticas, aplicação ou sistemas, e para publicar as conclusões da investigação”.

Deborah Brown, pesquisadora sênior de direitos digitais e defensora da HRW, disse: “O Facebook suprimiu o conteúdo postado por palestinos e seus apoiadores falando sobre questões de direitos humanos em Israel e na Palestina”.

Ela enfatizou: “Com o espaço para tal defesa sob ameaça em muitas partes do mundo, a censura do Facebook ameaça restringir uma plataforma crítica para aprender e se envolver nessas questões”.

LEIA: Facebook remove a Agência de Notícias Shehab de Gaza da plataforma

A HRW revelou que documentou que o Instagram “removeu uma captura de tela de manchetes e fotos de três artigos de opinião do New York Times para os quais o usuário do Instagram adicionou comentários que exortavam os palestinos a ‘nunca conceder’ seus direitos”.

O grupo de direitos afirmou: “A postagem não transformou o material de nenhuma forma que pudesse ser razoavelmente interpretada como incitação à violência ou ódio. O Instagram removeu uma fotografia de um prédio com uma legenda que dizia: ‘Esta é uma foto do prédio da minha família antes de ser atingido por mísseis israelenses no sábado, 15 de maio de 2021. Temos três apartamentos neste edifício'”.

Enquanto isso, de acordo com a HRW, o Instagram “removeu a repostagem de um cartoon político cuja mensagem era que os palestinos são oprimidos e não estão lutando uma guerra religiosa com Israel”.

A HRW mencionou o Instagram alegando que: “Todas essas postagens foram removidas por conterem ‘discurso ou símbolos de ódio'”. O grupo de direitos humanos insistiu: “Essas remoções sugerem que o Instagram está restringindo a liberdade de expressão em questões de interesse público”.

Categorias
Ásia & AméricasEstados UnidosHRWIsraelNotíciaOrganizações InternacionaisOriente MédioPalestina
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments