Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Sisi nega violações de direitos humanos no Egito

Presidente do Egito Abdel Fattah el-Sisi em Bagdá, Iraque, 27 de junho de 2021 [Murtadha Al-Sudani/Agência Anadolu]

O presidente e general egípcio Abdel Fattah el-Sisi negou nesta quinta-feira (16) a existência de qualquer violação de direitos humanos no seu país, em resposta a um relatório do Human Rights Watch condenando abusos sistemáticos de seu regime.

“Os egípcios podem ter certeza: não há violações de direitos humanos em nosso país”, declarou Sisi durante entrevista por telefone com o programa de televisão local Al-Tassia.

Ao destacar a necessidade de leis para “controlar a sociedade”, Sisi atribuiu a existência de “práticas erradas” a “manifestações da pobreza, ignorância e nossa cultura”.

“Ninguém tem direito de ofender os outros, seja por perseguição ou assédio, porque isso é uma violação dos direitos humanos”, constatou o general.

LEIA: Ativistas denunciam julgamento de exceção contra pesquisador no Egito

Em seguida, Sisi enalteceu a inauguração nas próximas semanas do “maior complexo prisional” do país. “Qualquer prisioneiro nesse complexo servirá sua pena de forma humana e terá alimento, saúde e reabilitação cultural”, declarou.

Na terça-feira (14), o Departamento de Estado dos Estados Unidos confirmou a decisão de reter US$130 milhões em ajuda militar destinada ao Egito, até que o regime de Sisi cumpra “parâmetros específicos de direitos humanos”.

O anúncio americano foi feito apenas três dias após Sisi divulgar uma “nova estratégia de direitos humanos”, a primeira do tipo desde que assumiu o poder em 2014, após liderar o golpe militar contra o presidente eleito Mohamed Morsi no ano anterior.

Há cerca de 60 mil prisioneiros políticos no Egito, sob abusos sistemáticos, incluindo tortura e negligência médica, além de índices exponenciais de execuções sumárias e pena capital.

LEIA: HRW demanda mecanismo internacional para monitorar abusos no Egito

Categorias
ÁfricaEgitoNotícia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments