Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Ennahda diz que não há solução para a Tunísia sem diálogo nacional

Rached Ghannouchi, presidente do parlamento tunisino e chefe do Movimento Ennahda fala durante um painel em Túnis, Tunísia em 12 de janeiro de 2021 [Agência Yassine Gaidi / Anadolu]

O movimento Ennahda da Tunísia disse na quinta-feira que não há solução para a crise do país, exceto por meio de um diálogo nacional abrangente. Solicitou o levantamento das “medidas excepcionais” tomadas pelo presidente Kais Saied em julho.

O anúncio foi assinado pelo presidente do Ennahda, Rashid Ghannouchi, após uma reunião de seus dirigentes executivos.

As medidas impostas por Saied incluem a suspensão das atividades do parlamento e da  da imunidade dos parlamentares e a demissão do primeiro-ministro Hichem Mechichi.

Um diálogo nacional abrangente é necessário, disse o movimento, para criar o ambiente certo “para realizar grandes reformas, abrindo um horizonte político e devolvendo o poder ao povo”.

Sobre a possível substituição da Constituição, o Ennahda destacou que: “A Constituição de 2014 representou um contrato social e obteve grande consenso e aprovação popular. Foi o fruto do diálogo nacional que elevou a imagem da Tunísia. Incluía mecanismos para alterar o seu conteúdo , de acordo com um consenso entre todos os partidos políticos e representantes da sociedade civil. ”

Segundo Oualid El Hajjam, assessor de Saied, porém, o sistema político estabelecido pela constituição da Tunísia “não é mais viável”.

LEIA: Sindicato da Tunísia alerta contra ‘desmantelar o estado’

Categorias
ÁfricaNotíciaTunísia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments