Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

População de chitas asiáticas no Irã permanece em ‘estado crítico’

Uma chita asiática em Teerã, em 10 de outubro de 2017 [Atta Kenare/AFP/Getty Images]

A população de chitas asiáticas do Irã continua em estado crítico, de acordo com um relatório publicado ontem no Tehran Times. Considerado um dos grandes felinos mais raros do mundo no nível de subespécie, eles já foram encontrados na Ásia Ocidental e na Índia. Agora, dizem que restam menos de 50 no Irã, com base nos dados de 2017.

Morteza Pourmirzaei, diretor administrativo da Iranian Cheetah Society (ICS), pediu ao Departamento do Meio Ambiente que tome medidas para proteger as chitas. Ele se referiu à existência de dezesseis chitas concentradas na província de Semnan, no norte do Irã.

“Uma espécie com uma população inferior a 100 não pode manter sua saúde a longo prazo, enquanto com uma população inferior a 50 não será capaz de manter sua diversidade genética a longo prazo, então a espécie está em um estado crítico”, alertou Pourmirzaei. “No momento, cada chita individual é importante, mas um pequeno aumento no número dessas espécies por si só, embora importante, não faz muita diferença em termos de extinção da chita.”

LEIA: A Turquia usa armadilhas fotográficas de animais para identificar caçadores ilegais

As armadilhas fotográficas em habitats notáveis de reprodução de chitas, como as reservas de vida selvagem de Turan e Miandasht, também provaram que a situação é crítica. Além disso, por quase uma década, não houve nenhuma evidência da presença de chitas fêmeas nos habitats do sul, que incluem Yazd, Kerman, South Khorasan e Isfahan.

Acredita-se que as estradas que cruzam os habitats naturais das chitas estão entre as principais ameaças para a espécie, com atropelamentos responsáveis pela maioria das mortes registradas. Cães de guarda e cães vadios, seca, diminuição da população de presas e perda de habitat também são fatores que têm levado ao encolhimento da população de chitas no país. O Irã e os países vizinhos já perderam o Leão Asiático e o Tigre Cáspio para a extinção.

No mês passado, o ICS relatou que as armadilhas fotográficas revelaram a existência de uma nova família de três guepardos, composta de uma mãe e dois filhotes, em vários locais do Parque Nacional de Turan. As gravações faziam parte do Programa Anual de Monitoramento da População de Chitas Asiáticas, lançado em 2012. O projeto deste ano continuará até meados do outono.

LEIA: Cara organização PETA, saiba que o histórico dos direitos animais de Israel deixa muito a desejar

Categorias
IrãNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments