Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Chipre retira passaportes de funcionários turco-cipriotas

Bandeira grega e cipriota, na vila de Omodos, em 4 de abril de 2018, em Limassol, Chipre [Athanasios Gioumpasis/Getty Images]

O governo de Chipre disse hoje que revogará os passaportes das autoridades cipriotas turcas no estado separatista na parte norte da ilha, informou a Reuters.

Vários funcionários cipriotas turcos, incluindo o líder Ersin Tatar, são conhecidos por possuírem passaportes da República de Chipre, embora administrem o estado cipriota turco.

A ilha do leste do Mediterrâneo foi dividida em uma invasão turca em 1974, após um breve golpe de inspiração grega. O Chipre do Norte é reconhecido apenas pela Turquia, enquanto a República de Chipre, administrada por cipriotas gregos, é reconhecida internacionalmente.

A atual administração cipriota, que ganhou bilhões vendendo passaportes para milhares de oligarcas russos e um fugitivo da Malásia a cambojanos bem relacionados, disse que as ações dos cipriotas turcos minaram a integridade de Chipre.

As tentativas de reunificação falharam repetidamente e as relações estão em um novo ponto baixo em uma disputa sobre as reservas de energia offshore, uma demanda cipriota turca de que as negociações de paz sejam colocadas em uma nova base e a Turquia se move para abrir parte de uma cidade cercada abandonada por seus residentes na guerra de 1974.

LEIA: A única solução para Chipre é a igualdade para os cipriotas turcos, diz líder

Chipre iria revogar, não renovaria ou se recusaria a emitir passaportes para indivíduos que participaram do “gabinete do pseudoestado” ou estiveram envolvidos em tentativas de reabrir Varosha, disse o porta-voz do governo Marios Pelekanos.

“Com seus atos e suas ações eles minam a soberania, independência, integridade territorial e segurança da República de Chipre, em violação à Constituição”, disse Pelekanos.

As autoridades cipriotas turcas anunciaram em julho uma reabertura parcial do subúrbio litorâneo de Varosha para um possível reassentamento, mas isso trouxe uma forte repreensão dos cipriotas gregos, que consideram isso uma apropriação de terras.

A área tem sido uma zona militar turca sem ocupação permitida há décadas.

A mídia local noticiou que Tatar, um forte defensor da independência cipriota turca, obteve um passaporte cipriota em 2000. Tatar é filho de um proeminente tecnocrata que atuou como conselheiro em negociações que levaram ao estabelecimento da República de Chipre em 1960 após a independência da Grã-Bretanha.

Categorias
ChipreEuropa & RússiaGréciaNotíciaTurquia
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments