Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Irã vai enriquecer urânio metálico enquanto caminham as negociações nucleares

Instalação de enriquecimento nuclear de Natanz 180 milhas ao sul de Teerã, Irã. Em 9 de abril de 2007.[Majid Saeedi / Getty Images]
Instalação de enriquecimento nuclear de Natanz 180 milhas ao sul de Teerã, Irã. Em 9 de abril de 2007.[Majid Saeedi / Getty Images]

O Irã começou o processo de produção de urânio metálico enriquecido, disse ontem an Agência Internacional de Energia Atômica da ONU, uma medida que poderia ajudá-lo a desenvolver uma arma nuclear e que três potências europeias disseram que ameaçam negociações para reviver o acordo nuclear com o Irã de 2015. A informação é da agência Reuters.

As medidas do Irã, que foram divulgadas pelo órgão da ONU. Teerã disse estar buscando desenvolver combustível para um reator de pesquisa, mas também atraiu críticas dos Estados Unidos, como “um infeliz retrocesso”.

Autoridades dos EUA e da Europa deixaram claro que a decisão do Irã complica, e potencialmente torpedeia, as negociações indiretas entre os EUA e o Irã que buscam trazer as duas nações de volta ao cumprimento do acordo de 2015, que foi abandonado pelo ex-presidente Donald Trump.

LEIA: Usina Nuclear Bushehr do Irã volta ao operacional após reparos

O acordo impôs restrições ao programa nuclear do Irã para tornar mais difícil para Teerã desenvolver material físsil para armas nucleares em troca do levantamento das sanções econômicas. Depois que Trump se retirou e impôs sanções “sem precedentes” à República Islâmica, o Irã começou a violar muitas das restrições.

Teerã já produziu uma pequena quantidade de urânio metálico este ano que não foi enriquecido. Isso é uma violação do acordo, que proíbe todo trabalho com urânio metálico, já que ele pode ser usado para fazer o núcleo de uma bomba nuclear.

“Hoje, o Irã informou à Agência que UO2 (óxido de urânio) enriquecido até 20% U-235, seria enviado para o laboratório de P&D na Fábrica de Fabricação de Combustível em Esfahan, onde seria convertido em UF4 (tetrafluoreto de urânio) e depois para urânio metálico enriquecido a 20% U-235, antes de usá-lo para fabricar o combustível “, disse um comunicado da IAEA.

Um relatório confidencial da AIEA visto pela Reuters disse que a agência confirmou que o Irã havia tomado medidas para iniciar o processo de produção de urânio metálico enriquecido.

Grã-Bretanha, França e Alemanha disseram ontem que têm “grande preocupação” com a decisão do Irã, que viola o acordo nuclear, formalmente denominado Plano Conjunto de Ação Global (JCPOA).

“O Irã não tem nenhuma necessidade civil crível de P&D e produção de urânio metálico, que são um passo fundamental no desenvolvimento de uma arma nuclear”, disseram eles em um comunicado conjunto emitido pelo Ministério das Relações Exteriores da Grã-Bretanha.

“Com seus últimos passos, o Irã está ameaçando um desfecho bem-sucedido para as negociações de Viena, apesar do progresso alcançado em seis rodadas de negociações”, disseram eles, e instaram o Irã a retornar às negociações na capital austríaca, que começaram em abril e foram adiadas 20 de junho. Nenhuma data foi definida para a próxima rodada.

O porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Ned Price, disse que Washington não estava estabelecendo um prazo para as negociações, mas observou que “com o passar do tempo, os avanços nucleares do Irã afetarão nossa visão de retornar ao JCPOA”.

Price disse que os Estados Unidos consideram “preocupante” que o Irã continue violando o acordo “especialmente com experimentos que têm valor para a pesquisa de armas nucleares.

“É mais um infeliz retrocesso para o Irã”, disse ele.

Categorias
AlemanhaÁsia & AméricasEstados UnidosEuropa & RússiaFrançaIrãONUOrganizações InternacionaisOriente MédioReino Unido
Show Comments
Show Comments