Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

Número de mortes por covid-19 é 300% maior em cidadãos árabes de Israel, revela relatório

Clínica móvel de vacinação contra covid-19 do Escudo Vermelho de David de Israel atende muçulmanos que chegam à mesquita Masjid Al-Aqsa para a oração de sexta-feira em Jerusalém, em 26 de fevereiro de 2021. [Mostafa Alkharouf - Agência Anadolu].

A comunidade árabe em Israel tem registrado as maiores taxas de mortalidade devido a complicações associadas às infecções pelo coronavírus, disse o Ministério da Saúde de Israel.

O relatório de igualdade do ministério, publicado ontem, mostrou que, embora a taxa de infecção pelo coronavírus nas comunidades árabes não fosse mais alta do que a do público em geral, a taxa de mortalidade foi a mais alta.

A taxa de mortalidade por infecções pelo vírus corona entre os grupos de baixa renda em Israel foi cinco vezes maior do que a dos grupos de maior renda; enquanto os cidadãos árabes de Israel registraram a maior taxa de mortalidade de todos os grupos.

Em média, os árabes que morreram da doença tinham 73 anos de idade, enquanto que os da comunidade Haredi tinham 78 anos de idade, enquanto que entre outras comunidades isso aumentou para 81 anos.

Os residentes de bairros de baixa renda foram submetidos a menos testes, mas a porcentagem de resultados positivos foi maior em comparação com o resto da população.

Segundo o relatório, o ministro da Saúde de Israel, Nitzan Horowitz, afirmou que “reduzir a desigualdade é um interesse nacional de primeiro grau”.

“A crise do coronavírus demonstrou mais uma vez que as lacunas na saúde não são apenas um fracasso moral, mas uma questão com graves consequências que visam todos os cidadãos de Israel”, acrescentou ele.

LEIA: Israel propõe ‘emprestar’ um milhão de vacinas à Palestina ocupada

Categorias
CoronavírusIsraelNotíciaOriente MédioPalestina
Show Comments
Show Comments