Portuguese / Spanish / English

Middle East Near You

43% dos israelenses acreditam que novo governo não dura

Eleitora israelense registra seu voto na cidade costeira de Tel Aviv, 23 de março de 2021 [Gil Cohen-Magen/AFP via Getty Images]

Quase metade dos israelenses não acreditam que o novo governo de coalizão, que tomou posse neste domingo (13), terminará seu mandato, concluiu uma pesquisa encomendada pela emissora local de televisão Channel 12.

No domingo, o parlamento israelense (Knesset) aprovou o novo governo liderado pelo ultranacionalista Naftali Bennett, chefe do partido Yamina, e seu aliado centrista Yair Lapid, chefe do partido Yesh Atid.

A pesquisa demonstrou que 43% dos israelenses não acreditam que o governo terá êxito.

Apenas 11% creem que a coalizão completa o mandato.

Segundo 61% dos entrevistados, Bennett aceitou a coligação para obter ganhos pessoais; 20% afirmam tratar-se de motivações ideológicas; e 19% não souberam responder.

Sobre a rotação do cargo de primeiro-ministro, 49% pensam que Bennett deverá respeitar o acordo e concedê-lo a Lapid, após dois anos no poder; 7% contestam o compromisso do líder de extrema-direita; e 29% afirmam que o governo cai antes.

A pesquisa demonstrou ainda que 56% dos israelenses opõem-se à controversa Marcha da Bandeira — passeata de colonos ilegais sobre áreas islâmicas de Jerusalém ocupada —; porém, 29% dos entrevistados declararam apoio.

LEIA: Israel encerra era Netanyahu, após doze anos

A marcha deverá passar pelos portões de Damasco e Jaffa em direção ao Muro Ocidental (Muro das Lamentações), no complexo de Al-Aqsa.

A marcha foi cancelada previamente por receios de novas tensões entre a ocupação israelense e grupos da resistência palestina em Gaza, mas deve ir adiante. O Hamas alertou contra a invasão de colonos ao quarteirão islâmico da Cidade Velha de Jerusalém.

Novo governo de Israel: nada vai mudar [Sabaaneh/Monitor do Oriente Médio]

Categorias
Eleições israelensesIsraelNotíciaOriente Médio
Show Comments
Expulsão dos Palestinos, O conceito de 'transferência' no pensamento político sionista (1882-1948)
Show Comments